domingo, 1 de julho de 2018

Redação - Tema 2018N27 - Agrotóxicos (UFU, Uniube, Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp e demais vestibulares.)



Proposta de redação 2018N27

Texto 01.
“Hoje, da forma como é feita a produção agrícola no Brasil, existe uma dependência do uso de agrotóxico para produção em larga escala. A lógica de mercado do agronegócio praticamente não permite aos produtores outra forma de cultivo. E este é um problema a ser tratado não só pela Anvisa, mas também pelo Ministério do Meio Ambiente, bem como pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, e igualmente importante pelas entidades representativas dos consumidores. Talvez esta última seja o melhor trunfo para alcançarmos uma mudança do modelo de produção agrícola. No entanto, apesar de toda essa hegemonia do atual modelo agrícola, existem iniciativas tanto de redução (Manejo Integrado de Pragas) quanto de eliminação (agroecologia e cultivos orgânicos) do uso de agrotóxicos no cultivo de alimentos.
A orientação mais saudável é consumir alimentos produzidos por sistemas agrícolas de redução ou ausência do uso dessas substâncias, tais como as técnicas de Produção Integrada de Frutas e/ou de produção orgânica de alimentos. Outra dica para a obtenção de frutas, legumes e hortaliças com menor probabilidade de presença de resíduos de agrotóxicos é procurar dar preferência aos que estejam no período da safra, que em geral recebem menos carga de agrotóxicos. Não sendo isto possível, ainda assim a Organização Mundial de Saúde recomenda consumir frutas, verduras e hortaliças, mesmo que contenham possíveis resíduos de agrotóxicos (se dentro dos limites autorizados), do que não consumi-las. Esses gêneros alimentícios são essenciais para a manutenção da saúde.
Cabe salientar que a Anvisa estabelece a Ingestão Diária Aceitável (IDA) para todos os ingredientes ativos de agrotóxicos autorizados no Brasil, ou seja, a quantidade máxima que podemos ingerir diariamente, durante toda a vida, sem que soframos danos à saúde decorrentes desta ingestão. A Agência estabelece também, a partir dos resultados de estudos de campo, o Limite Máximo de Resíduos (LMR), ou seja, a quantidade máxima de resíduo de agrotóxico que pode estar presente em cada cultura após aplicação do mesmo em uma fase específica, segundo as Boas Práticas Agrícolas, desde sua produção até o consumo. Sempre que houver novas evidências a partir de estudos toxicológicos, poderá haver alteração na IDA e/ou no LMR. Considerando os valores máximos de resíduos de um determinado ingrediente ativo em todas as culturas para as quais ele está autorizado e o volume máximo desses alimentos consumido pelo brasileiro (dados do IBGE) podemos prever a quantidade máxima consumida do agrotóxico através da ingestão de alimentos e confrontar esses valores com a IDA anteriormente calculada. Resumidamente, esta é a avaliação de risco dietético realizada pela Anvisa.”

Texto 02.
“O Brasil é conhecido por ser bastante permissivo com relação aos agrotóxicos, os pesticidas usados na agricultura para conter pragas nas plantações. Muitos deles são proibidos na Europa e nos Estados Unidos por estarem relacionados ao câncer e doenças genéticas, mas aqui estão liberados. Um projeto de lei, de número 6299/02 e apelidado de PL do Veneno por organizações e ativistas contrários a ele, tem como objetivo afrouxar ainda mais as normas que regulam o uso dessas substâncias no país. Ele vem sendo patrocinado pela bancada ruralista no Congresso, cujo expoente máximo é o atual ministro da Agricultura Blairo Maggi, um dos maiores produtores rurais do Mato Grosso e autor do plano em 2002, quando ainda era senador. Uma comissão especial da Câmara formada por 26 deputados — entre os quais 20 formam parte da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária (FPA) — aprovou, na segunda-feira do dia 25 de junho, o texto final das mudanças, que agora devem passar pelo plenário da Casa e depois voltar para o Senado. Defensores da medida argumentam que elas modernizam e conferem eficiência ao setor da agricultura, enquanto seus opositores dizem que serão prejudiciais à saúde da população.”

Texto 03.
“A nova lei vai colocar mais defensivos na comida do brasileiro.
Isso é um mito. O texto do substitutivo não trata de quantidades de produto utilizado. O responsável por indicar o tipo de produto, a quantidade, a frequência e os prazos de aplicação é o engenheiro agrônomo por meio do receituário agronômico. O volume de substância varia de acordo com a lavoura, a praga ou doença que a afeta e a época do ano, por exemplo. O PL propõe a modernização do processo de aprovação de novos defensivos para que tenhamos produtos mais tecnológicos e seguros nas nossas plantações.
No estudo “A evolução dos produtos fitossanitários e seu uso no Brasil”, elaborado em 2013 pelo engenheiro agrônomo Luiz Carlos Ferreira Lima, que tem mais de 50 anos de experiência, fica demonstrada a diminuição na quantidade e na toxicidade de defensivos usados no país desde 1960. O levantamento apurou que os produtos de hoje são, em média, 160% menos tóxicos, e houve redução significativa nas doses utilizadas nas plantações. Para se ter ideia, entre 1960 e 2010, a diminuição no uso de herbicidas chegou a 88%. Nos fungicidas a queda foi de 83% e nos inseticidas, 82%.

Situação 2018N27-A - Dissertação (USP, Unesp, Uniube, etc.)
Em uma dissertação, faça um panorama a respeito dos interesses que envolvem o uso de agrotóxicos no Brasil, sobretudo, em virtude da possibilidade de aprovação do projeto de lei de número 6299/02.

Instruções para a dissertação:
1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.
3. Dê um título a sua redação.


Para ter acesso ao restante das propostas, clique no "link" abaixo à esquerda.



Situação 2018N27-B – Outros gêneros textuais - Anúncio (Unicamp, UEL, UnB, etc.)
Escreva um anúncio a ser publicado em uma página inteira de uma revista de circulação nacional - para uma instituição que julgar pertinente - sobre o projeto de lei 6299/02 no sentido de apoiá-lo ou condená-lo.

Instruções gerais:
1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: José ou Josefa. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação.
5. O mínimo será de 25 linhas e o máximo de 30.

Situação 2018N27-C - Carta argumentativa (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Escreva uma carta argumentativa para o Ministro da Agricultura com a sua posição como consumidor a respeito da postura dele como criador e articulador político favorável ao projeto de lei 6299/02.

Situação 2018N27-D – Artigo de opinião (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Faça um artigo de opinião em que você se posicione sobre a seguinte afirmação:

Agrotóxicos deveriam ser banidos em função dos riscos que oferecem para a humanidade e para o meio ambiente.

Situação 2018N27-E – Editorial (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Faça um editorial sobre os benefícios e os malefícios atribuídos aos agrotóxicos no Brasil.

Instruções UFU:
1. Após a escolha de uma das situações, assinale sua opção no alto da folha de resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero selecionado.
2. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
5. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.
6. Mínimo de 25 e máximo de 30 linhas.
7. ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Situação 2018N27-F - Dissertação (Enem)
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “produção agrícola, abastecimento e uso de agrotóxicos no Brasil”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.