domingo, 4 de março de 2018

Redação - Tema 2018N05 - Futuro da escola (UFU, Uniube, Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp e demais vestibulares.)


Resultado de imagem para creative commons
O trabalho Opera10 de Estéfani Martins está licenciado com uma Licença 
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual CC BY-NC-SA.
Baseado no trabalho disponível em www.opera10.com.br e em outras referências.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em www.opera10.com.br.

Tema de redação 2018N05

Texto 01.
“Nós realmente precisamos repensar a educação e reprojetar nosso sistema, para que ele prepare nossas crianças para o futuro com as competências que são necessárias para o hoje e o amanhã. Nós ainda temos escolas ensinando à moda antiga, que foi proveitosa no início dos anos 1900 – mas as necessidades não são mais as mesmas e nós precisamos de algo adequado ao Século 21.” (Marjo Kyllonen, gerente educacional de Helsinki)

Texto 02.
“A tecnologia vem sendo utilizada cada dia mais e a maioria dos estudantes tem algum acesso a ela, por que então não usá-la na área de educação? A educação se tornará presente em todos os lugares. Discussões em ambientes virtuais serão incorporados às aulas presenciais. As tecnologias são de grande auxílio ao professor, uma vez que os alunos têm uma relação boa com os aparatos tecnológicos atuais. Assim, devido ao convívio, aumentarão a influência e conhecimento.
Elas aumentam a capacidade de comunicação entre pessoas, aumentam os seus poderes intelectuais, assim como aumentam sua capacidade de adquirir, organizar, armazenar, analisar, relacionar, integrar, aplicar e transmitir informação. Existem três fatores que impossibilitam uma aprendizagem significativa: o material de ensino disponibilizado de baixa qualidade e sem significado; o aluno estar disposto a aprender e não memorizar o conteúdo; o professor não estar preparado para as novas tendências, impossibilitando o bom uso da tecnologia.”

Texto 03.
“Segundo o livro “Viagem à Escola do Século XXI: Assim Trabalham os Colégios Mais Inovadores do Mundo”, do psicólogo e pesquisador espanhol Alfredo Hernando Calvo, um ensino baseado somente na transmissão de informação já não atende os anseios das novas gerações, que pedem novos espaços, novos métodos e maneiras mais colaborativas de aprendizagem. Para Calvo, a própria sala de aula deve ser redesenhada, abandonando aquele modelo com quadro e carteiras enfileiradas.
Em sua obra, ele descreve 80 exemplos de ações transformadoras realizadas em escolas ao redor do mundo (também disponíveis pelo site www.escuela21.org). Outras 96 experiências inovadoras, que podem transformar práticas pedagógicas, também foram mapeadas pela plataforma InnoveEdu.org. São ferramentas e metodologias que traduzem importantes tendências capazes de tornar o aprendizado significativo e conectado com as demandas do século XXI.”

Texto 04.
“A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino médio terá apenas as disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática. Todas as outras – como Biologia, Inglês e História – aparecerão dentro de áreas de conhecimento, de forma interdisciplinar. O documento, que será concluído até o fim de março, também não vai abordar a parte flexível do currículo, prevista pela reforma do ensino médio.
Segundo a lei aprovada no ano passado, cerca de 40% da carga horária da etapa será destinada ao aprofundamento em áreas específicas optativas. O estudante poderá escolher entre cinco itinerários formativos: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Formação Técnica e Profissional. O restante tem de ser destinado a disciplinas comuns a todos os alunos.
A estrutura da Base do ensino médio foi apresentada pelo Ministério da Educação (MEC) na segunda-feira, 26, a secretários estaduais de Educação em São Paulo. O Estado teve acesso a parte da apresentação, que mostra Português e Matemática como únicos componentes curriculares, como são chamadas as disciplinas. Essa parte da Base foi separada do texto referente ao ensino fundamental e infantil – homologado em dezembro -, por causa da reforma.”

Texto 05.
"As disciplinas comuns a todos os estudantes da educação básica são estipuladas por lei, esclarece o conselho. A nota explica que o novo currículo da educação básica contém algumas mudanças que podem ter causado o mal-entendido sobre a abolição das disciplinas.
De acordo com ao texto, 'com o objetivo de enfrentar os desafios do futuro, o foco [do novo currículo] está nas competências transversais e no trabalho interdisciplinar". São enfatizadas aulas colaborativas, "nas quais os estudantes podem trabalhar com vários professores simultaneamente durante um projeto baseado num estudo de caso'.
'Os estudantes devem participar a cada ano de pelo menos um módulo de aprendizagem multidisciplinar. Esses módulos são desenvolvidos e aplicados por cada instituição', acrescenta a nota. O novo currículo da educação básica na Finlândia também prevê que os estudantes participem do planejamento dos módulos multidisciplinares.

Texto 06.

"Durante a experiência no Brasil, os finlandeses puderam conhecer um pouco da cultura do país e de como funciona seu sistema educacional. Uma das primeiras diferenças a serem notadas pelas intercambistas, além do fato de muitos estudantes serem levados à escola de carro pelos pais – enquanto na Finlândia eles vão de ônibus ou trem – foi o fato de o Brasil ter colégios particulares. “Na Finlândia, praticamente não temos escolas privadas, não precisamos pagar mensalidade”, observa Helmi.
Outro ponto destacado é o horário das aulas. “Na Finlândia, o dia não começa tão cedo”, afirma Ronja Haikarainen. “Em geral, as aulas começam às 8h30 e vão até às 15h ou 16h”, explica Helmi. Além de irem para a escola um pouco mais tarde, os alunos finlandeses também contam com mais intervalos que os brasileiros. Após cada aula, eles têm uma pausa que dura cerca de 15 minutos.


Proposta de redação 2018N05-A - Dissertação (USP, Unesp, Uniube, etc.)
Faça uma dissertação argumentativa sobre qual a função principal que a tecnologia deve ou deveria ter na relação ensino-aprendizagem que ocorre na escola.

Instruções para a dissertação:
1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.
3. Dê um título a sua redação.

Para ter acesso ao restante das propostas, clique no "link" abaixo à esquerda.


Proposta de redação 2018N05-B – Outros gêneros textuais - Carta aberta (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Faça uma carta aberta sobre os cinco princípios que, em sua opinião, devem nortear a remodelação da escola no Brasil. Esta carta deve ser feita para ser afixada no mural de um colégio e assinada pelo Grêmio Estudantil dessa instituição.

Instruções gerais:
1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: José ou Josefa. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação.
5. Quanto ao número mínimo e máximo de linhas e outras especificidades, informe qual o vestibular que você irá prestar para que possamos adequar a correção às exigências do concurso escolhido.

Proposta de redação 2018N05-C - Carta argumentativa (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Escreva uma carta argumentativa para um político de sua escolha que será candidato a um cargo eletivo nas eleições de 2018 com uma análise sobre a proposta que consta na Base Nacional Comum Curricular para o Ensino Médio de haver apenas duas disciplinas obrigatórias, que serão Matemática e Língua Portuguesa, e de as outras serem unidas em conformações interdisciplinares. A carta deve ter o interesse de influenciar o trabalho desse político, se eleito, como defensor ou crítico dessa mudança.

Proposta de redação 2018N05-D – Artigo de opinião (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Faça um artigo de opinião sobre como você prevê que a educação formal destinada a jovens entre cinco e 17 anos será no ano de 2118.

Proposta de redação 2018N05-E – Editorial (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Faça um editorial sobre as vantagens para o Brasil de reformas na educação brasileira tanto pública quanto privada com vistas a propiciar um processo educacional mais centrado no aluno, adaptável às demandas do presente e conectado com a realidade.

Instruções UFU:
1. Após a escolha de uma das situações, assinale sua opção no alto da folha de resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero selecionado.
2. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
5. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.
6. Mínimo de 25 e máximo de 30 linhas.
7. ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Proposta de redação 2018N05-F - Dissertação (Enem)
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “como tornar a educação um processo central para uma mudança na melhoria da sociedade, da economia e da produção cultural no Brasil?”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.