sábado, 28 de outubro de 2017

Códigos e Linguagens - Simulado Enem - 2017CL40 - por Estéfani Martins


Simulado Enem 2017CL40
Professor Estéfani Martins
40 questões – 100 minutos – 2,5 minutos por questão

1 – Opera10 – Análise textual
Leia atentamente texto abaixo e marque a alternativa correta a respeito do conflito apresentado de forma sutil no trecho abaixo:

"Rumor suspeito quebra a doce harmonia da sesta. Ergue a virgem os olhos, que o sol não deslumbra; sua vista perturba-se. Diante dela e todo a contemplá-la, está um guerreiro estranho, se é guerreiro e não algum mau espírito da floresta. Tem nas faces o branco das areias que bordam o mar; nos olhos o azul triste das águas profundas. Ignotas armas e tecidos ignotos cobrem-lhe o corpo. Foi rápido, como o olhar, o gesto de Iracema. A flecha embebida no arco partiu. Gotas de sangue borbulham na face do desconhecido. De primeiro ímpeto, a mão lesta caiu sobre a cruz da espada; mas logo sorriu." (José de Alencar, “Iracema”)

a)         o trecho mostra o conflito entre dois grupos indígenas distintos por território.
b)     o trecho mostra claramente o intenso conflito entre o homem branco e o indígena brasileiro é provocado pela agressividade do índio como a oposição à agressividade ainda maior dos povos conquistadores.
c)         o trecho sugere o conflito entre uma civilização autóctone contra uma invasora por meio do conflito entre representantes de cada um desses grupos.
d)     o trecho é um vivido exemplo da união harmoniosa entre as comunidades indígenas e os portugueses como representado em vários quadros românticos brasileiros.
e)      o trecho é um exemplo de como os índios faziam bem emboscadas contra os invasores europeus.

Para ter acesso ao simulado na íntegra, clique no link abaixo à esquerda.



2 – Opera10
Marque a alternativa que corresponde à função da linguagem predominante no texto abaixo.

“Os pensadores digitais, como são as nossas crianças, podem fazer muito mais do que se espera delas na escola. Podemos desafiá-las, apresentando-lhes problemas complexos para resolver e dar a elas um amplo controle sobre seus processos de aprendizagem. As crianças gostam de ser desafiadas, pois elas passaram por experiências semelhantes ao jogar no computador. Elas também gostam de ser desafiadas em tarefas complexas. A abordagem pedagógica de trabalhar passo a passo não é o que elas gostam de fazer. Elas são não lineares – o que é mais desafiador. Elas gostam de estar imersas em situação em que não se saber por onde começar e nem como agir. Gostam de aprendizagem experiencial, como a dos jogos de computador.” (Wim Veen e Bem Vrakking, também criadores do termo “Homo zappiens” para aqueles que nasceram a partir do início da década de 1990 – “primeiros seres digitais”.)

a)      Função emotiva.
b)      Função referencial.
c)      Função poética.
d)      Função conativa.
e)      Função fática.

3 – Opera10 – Literatura
Leia atentamente o poema abaixo e marque a alternativa sobre o movimento do qual ele faz parte:

Budismo Moderno

Tome, Dr., esta tesoura e… corte
Minha singularíssima pessoa.
Que importa a mim que a bicharia roa
Todo o meu coração depois da morte?!

Ah! Um urubu pousou na minha sorte!
Também, das diatomáceas da lagoa
A criptógama cápsula se esbroa
Ao contrato de bronca destra forte!

Dissolva-se, portanto, minha vida
Igualmente a uma célula caída
Na aberração de um óvulo infecundo;

Mas o agregado abstrato das saudades
Fique batendo nas perpétuas grades
Do último verso que eu fizer no mundo!

a)      Romantismo.
b)      Realismo.
c)      Modernismo.
d)      Pré-modernismo.
e)      Dadaísmo.

4 – Opera10 – gêneros textuais
Palestrante
(lectuer), s.2g.

Alguém com a mão no seu bolso, a língua na tua orelha e com fé na sua paciência.

(Ambrose Bierce, “Dicionário do diabo”, Carambaia)

Quanto à teoria dos gêneros textuais, marque a alternativa correta.

a)      Argumentação.
b)      Injunção.
c)      Anedota.
d)      Comentário.
e)      Verbete.

5 – Opera10 – semântica
No verso abaixo do poeta Torquato Neto, a palavra “ainda” foi usado no sentido:

“Ainda vai cair muita corrupção na cabeça das pessoas.” (Torquato Neto, 1944-1972, poeta brasileiro, Tropicália – Poesia Marginal, “A tragédia do viaduto”, 1971.)

a)      Concessivo.
b)      Temporal.
c)      Adversativo.
d)      Dissuasivo.
e)      Difamatório.

6 – Opera10 – gramática
Resultado de imagem para arte depressão 

No “meme” acima, publicado no perfil do Instagram Arte Depressão, o termo “amigo” foi usado como:

a)      Qualificador
b)      Sujeito.
c)      Aposto.
d)      Substantivo.
e)      Vocativo.

7 – Opera10 – análise textual
"Esclarecimento é a saída do homem de sua menoridade, da qual ele próprio é culpado. A menoridade é a incapacidade de fazer uso de seu entendimento sem a direção de outro indivíduo. O homem é o próprio culpado dessa menoridade se a causa dela não se encontra na falta de entendimento, mas na falta de decisão e coragem de servir-se de si mesmo sem a direção de outrem. Tem coragem de fazer uso de teu próprio entendimento, tal é o lema do esclarecimento. A preguiça e a covardia são as causas pelas quais uma tão grande parte dos homens, depois que a natureza de há muito os libertou de uma condição estranha, continuem, no entanto, de bom grado menores durante toda a vida." (Immanuel Kant)

No trecho, o homem é acusado de não sair da menoridade porque:

a)     É atrapalhado pela ganância do outro.
b)     É acomodado, por isso não decide ser autônomo.
c)     Está submetido a uma estranha condição natural.
d)     Está preso a ela em função da vontade de outros homens mais poderosos.
e)  Falta entendimento para se reconhecer na condição de alguém preso à menoridade.

8 – Opera10 – Literatura
Assinale o escritor brasileiro, que é, em função das características estéticas e temáticas, o autor da crônica escrita em 1920 que contém o trecho abaixo:

“A bem dizer, a carestia atual entre nós é fabricada por aquela gente que de há muito se pôs além e acima do ideal de pátria, é a gente da finança que vai até a funestas guerras para ganhar dinheiro e todo o nosso nacionalismo contra ela é vão e ridículo. Para derrubá-la é preciso abalar e modificar ideais e sentimentos [...]. O mal-estar da nossa vida não vem da massa geral de estrangeiros, tão necessitada como a maioria dos nacionais; vem da injustiça das relações econômicas entre pobres e ricos. Cessem elas, que o mundo será um paraíso e a pátria ficará quase sempre sendo para cada qual o lugar em que nasceu.”

a)      Olavo Bilac.
b)      João Guimarães Rosa.
c)      José de Alencar.
d)      Lima Barreto.
e)      Antônio Vieira.

9 – Opera10 – Arte
Sobre a reação de Monteiro Lobato à exposição de Anitta Malfati em 1917 em artigo de jornal, marque a alternativa correta:

“Há duas espécies de artistas. Uma composta dos que veem normalmente as coisas e em consequência disso fazem arte pura, guardados os eternos ritmos da vida, e adotados para a concretização das emoções estéticas, os processos clássicos dos grandes mestres.
(...)
A outra espécie é formada dos que veem anormalmente a natureza, e interpretam à luz das teorias efêmeras, sob a sugestão estrábica de escolas rebeldes, surgidas cá e lá como furúnculos da cultura excessiva. São produtos do cansaço e do sadismo de todos os períodos de decadência; são frutos de fim de estação, bichados ao nascedouro. Estrelas cadentes, brilham um instante, as mais das vezes com a luz do escândalo, e somem-se logo nas trevas do esquecimento.
Embora eles se deem como novos, precursores duma arte a vir, nada é mais velho do que a arte anormal ou teratológica: nasceu com a paranoia e com a mistificação. (...)” (Monteiro Lobato, “Paranoia ou mistificação”

a)    O artigo serviu como um dos estopins que congregariam artistas modernos brasileiros não apenas em defesa da obra de Anitta Malfati, mas também daria início às articulações que desembocaram na Semana de Arte Moderna de 1922.
b)     A referência a uma “arte pura” remete a ideia de uma arte que não admite qualquer influência europeia.
c)    Quanto à expressão “processos clássicos dos grandes mestres”, é evidente o interesse de Monteiro Lobato de referenciar artistas brasileiros como Candido Portinari e Alfredo Volpi.
d)      A referência a “escolas rebeldes” está associada às Vanguardas Europeias e é um elogio às contribuições estéticas delas.
e)   Na expressão “nada é mais velho do que a arte anormal”, entende-se por “anormal” a arte que é mimética, porque não reproduz a realidade em função de ser abstrata.

10 – Opera10 – análise textual
“Quero fixar-me, furiosamente, no Nada e irmanar-me a ele e perder todos os resíduos humanos, quando ele me agarrar! Contigo, velho alquimista, quero caminhar. Não fiques mendigando sozinho, para ganhares o céu; nada de esmola, toma-o o de assalto, se és forte (...), deixa de mendigar; separo à força tuas mãos. Ai de mim! Que é isso? Tu também não passas de uma máscara e me enganas? Não vejo mais, ó Pai! Onde estás? Ao toque de meus dedos, tudo se reduz a cinzas e no chão sobra apenas um punhado de pó, enquanto alguns vermes saciados rastejam furtivamente (...). Espalho pelo ar essa poeira paterna e o que resta? Nada! À frente, dentro do túmulo, o visionário ainda permanece, abraçando o Nada! E o eco do ossário brada uma última vez: ‘Nada!’”. (Autor Anônimo – Noturnos de Boaventura)

Depois de lido o texto, marque a alternativa correta sobre qual palavra expressaria melhor a ideia geral presente nele:

a)      Niilismo.
b)      Inconformismo.
c)      Ufanismo.
d)      Cinismo.
e)      Reacionarismo.

11 – Opera10 – Figuras de linguagem
O trecho abaixo abre o caderno chamado “O perfeito cozinheiro de almas deste mundo”, escrito de forma coletiva no ano de 1918 por frequentadores da “garçonnière” de Oswald de Andrade em São Paulo.

“Muito de arte entrará nestes temperos, arte e paradoxo que fraternalmente se misturarão para formar, no ambiente colorido e musical dêste retiro, o cardápio perfeito para o banquete da vida.”

Marque a alternativa que contenha a figura de linguagem central na construção do excerto acima:

a)      Anacoluto.
b)      Alegoria.
c)      Antítese.
d)      Eufemismo.
e)      Prosopopeia.

12 – Opera10 – variação linguística
Leia a tira abaixo e responda ao que se pede sobre o efeito de humor presente nela.

Para saber mais sobre o artista: http://adao.blog.uol.com.br/

O humor da tira foi construído em função das possibilidades de variação linguística da Língua Portuguesa sobre a compreensão da Língua Portuguesa, marque a alternativa correta quanto a isso:

a)      Regional.
b)      Pessoal.
c)      Histórica.
d)      Social.
e)      Profissional.

13 – Opera10 – análise textual
Nenhum texto alternativo automático disponível.

Sobre a tira acima, marque a alternativa correta sobre a reação do personagem que pergunta em relação à resposta do outro no segundo quadro.

a)      Ceticismo.
b)      Credulidade.
c)      Raiva.
d)      Desdém.
e)      Horror.

14 – Opera10 – análise textual
Leia atentamente o trecho abaixo do poema “Uivo” de Allen Ginsberg com tradução de Rodrigo Garcia Lopes e marque a alternativa correta sobre ele.

Trecho inicial de “Howl” (“Uivo”)
para Carl Solomon

Eu vi as melhores cabeças da minha geração destruídas pela loucura,
famintos histéricos nus,
se arrastando na aurora pelas ruas do bairro negro na fissura de um pico,
hipsters de cabeça feita anjos ardendo por uma conexão celestial e ancestral com
o dínamo estrelado ancestral na maquinaria da noite,
que pobreza e farrapos e olhos ocos e loucos sentaram fumando na escuridão
sobrenatural dos apartamentos sem calefação flutuando pelos tetos das
cidades contemplando jazz, (...)

a)     O texto foi integralmente escrito de acordo com a norma padrão.
b)     O texto foi escrito de forma impessoal e distanciada dos acontecimentos.
c)   O texto é um exemplo de poesia tipicamente clássica construída com versos alexandrinos.
d)    O texto é uma poesia com forte influência da prosa, poderia ser visto como um exemplo de poesia em prosa.
e)     O texto é um exemplo típico de poesia parnasiana.

15 – Opera10 – análise textual
Sobre o poema abaixo, é possível afirmar:

Fanatismo

Minh’alma, de sonhar-te, anda perdida.
Meus olhos andam cegos de te ver.
Não és sequer razão do meu viver
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida…
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!…

Tudo no mundo é frágil, tudo passa…
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, digo de rastros:
‘Ah! podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!… (Florbela Espanca)

a)     que o eu-lírico está tomado de um amor absoluto e desmedido pelo ser amado.
b)     que o eu-lírico está tomado de um amor incerto e amargo pelo ser amado.
c)   que o eu-lírico está tomado de um amor interesseiro e conveniente pelo ser amado.
d)     que o eu-lírico está tomado de um amor ressentido e rancoroso pelo ser amado.
e)     que o eu-lírico está tomado de um amor fraterno e contido pelo ser amado.

16 – Opera10 - Arte
No quadro abaixo, é evidente qual característica do Expressionismo?

Resultado de imagem para triptico guerra otto dix
Dix, Wilhelm Heinrich Otto (1891-1969) pintor e gravador alemão expressionista – 1929-32 - A guerra (Tríptico).

a)   A aberta e resoluta crítica à guerra, muito em função dos horrores vistos na Primeira Grande Guerra.
b)     O uso de trípticos para abordar os grandes temas históricos que são o motivo mais comum nas obras expressionistas.
c)     O uso de representações miméticas e realistas das figuras humanas.
d)   A referência elogiosa à vitória em guerras, pois acreditava-se que as guerras depuravam as nações.
e)     O aspecto fortemente autoral e personalista da obra.

17 – Opera10 – figuras de linguagem
“Guimarães e Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa se conheceram em Hamburgo, quando o escritor era embaixador do Brasil na Alemanha e Aracy, secretária. Vivendo no país na era Hitler, os dois começaram a tentar salvar a vida de pessoas que corriam risco de morrer nas mãos do ditador. Enquanto o literato falsificava passaportes para judeus fugirem para o Brasil, a esposa conseguia carimbos e assinaturas falsas para liberar a entrada dos fugitivos no país. O casal salvou a vida de centenas de pessoas.”

Na expressão, “Aracy, secretária” ocorre uma figura de linguagem, marque a alternativa que corresponde a ela.

a)      Comparação metafórica.
b)      Metonímia.
c)      Zeugma.
d)      Anadiplose.
e)      Hipérbato.

18 – Opera10 – Análise textual
Texto 1.
“Se a vida é realmente um concurso de beleza, como afirmou o estilista Thierry Mugler, nos resta esperar ter nascido numa época em que as normas de beleza correspondam às nossas características naturais.” (Lars Svendsen em "Moda: uma filosofia")

Texto 2.
“Em todos os períodos, e claro, há vários tipos de semblantes, mas somente um será escolhido pelo gosto de certo período como sua imagem ideal de felicidade e beleza, enquanto todos os demais fazem o possível para copiá-lo; com a ajuda da moda e de costureiros, até os feios conseguem se aproximar do ideal. Mas há alguns rostos que nunca o conseguem, rostos nascidos para uma estranha distinção própria, expressando resolutamente o ideal de beleza esplêndido e banido de um período anterior.” (Robert Musil)

Sobre a relação entre os dois textos, pode-se dizer que um ponto de vista comum entre os dois a respeito da beleza é:

a)      o aspecto abrangente e includente dela.
b)      o fato de que ela é um conceito absoluto e imutável.
c)      o caráter eurocêntrico dela.
d)      a necessidade de se adaptar a ela a qualquer custo.
e)      a transitoriedade dela em relação à passagem do tempo.

19 – Opera10 – análise textual
Veja com atenção a propaganda e marque a alternativa correta.

Resultado de imagem para propagandas criativas

a)     o anúncio é voltado exclusivamente para diabéticos em função da falta de açúcar nele.
b)    o anúncio mostra como o pirulito é danoso para a saúde em função de conter muito açúcar.
c)    o anúncio faz referência à falta de açúcar no pirulito, o que faz com que as formigas não se interessem por ele.
d)      o anúncio é voltado para pessoas que pretendem emagrecer rapidamente.
e)      o anúncio não cumpre sua função já que pode desmotivar as pessoas de consumi-lo em função de depor contra a qualidade do produto anunciado.

20 – Opera10 – análise textual
“A frase foi publicada em 1928 na Printer’s Ink, revista do setor publicitário norte-americano: “Um artigo que não estraga é uma tragédia para os negócios.” Para que vender menos se você pode vender mais projetando produtos com um defeito incorporado? Por que não abandonar esse afã romântico de fabricar produtos bem feitos, consistentes, duradouros, e ser logo prático? Não será melhor para o business fazer com que o cliente tenha de abrir a carteira mais vezes?
Essa é história de uma ideia que ganhou força como salvação dinamizadora nos anos da Grande Depressão, transformou-se num mantra da sociedade de consumo – comprar, usar, jogar fora, voltar a comprar – e se tornou, já na atualidade, uma séria ameaça ao meio ambiente. É uma história escrita aos poucos, capítulo por capítulo. O último e mais importante deles é o destaque que a questão ganhou nos debates da Europa, sinal de que existe uma crescente conscientização: em 4 de julho, o Parlamento Europeu aprovou (por 622 votos a favor e 32 contra) o ‘Relatório sobre Produtos com Uma Vida Útil Mais Longa: Vantagens para os Consumidores e as Empresas, pedindo que a Comissão Europeia adote medidas’.”

Sobre o trecho acima, marque a alternativa correta quanto ao trecho que melhor apresenta a tese que será defendida no restante do texto.

a)     “Essa é história de uma ideia que ganhou força como salvação dinamizadora nos anos da Grande Depressão”
b)    “O último e mais importante deles é o destaque que a questão ganhou nos debates da Europa”
c)      “comprar, usar, jogar fora, voltar a comprar”
d)    “transformou-se num mantra da sociedade de consumo – comprar, usar, jogar fora, voltar a comprar – e se tornou, já na atualidade, uma séria ameaça ao meio ambiente.”
e)      “É uma história escrita aos poucos, capítulo por capítulo.”

21 – Opera10 – dança
“...diferente dos grandes balés de repertório que emocionavam com a leveza de “Giselle” ou com a tristeza da “morte do cisne” , esse estilo alternativo de dança vem para emocionar sim, mas, além disso, para olhar para a sociedade e contar uma história que nem sempre é um conto de fada e que ao contrário disso não se propõe a sê-lo. Ela vem para fazer uma nova leitura do mundo e proporcionar ao espectador que este faça o mesmo. Criar novos pontos de vista sobre um mesmo assunto, assunto esse que pode ser a política de um país, a educação de um povo ou apenas um sentimento humano representado sob vários aspectos. A contemporaneidade na dança não traz respostas prontas, contudo ela produz indagações a serem pensadas e repercutidas pelo espectador e a sociedade. Mais do que diversão e entretenimento, ela vem para olhar o mundo e conhecê-lo.”

A partir do texto e de seus conhecimentos sobre dança, marque a alternativa correta a respeito da Dança Contemporânea quanto a palavras que poderiam ser usadas para defini-la.

a)      Rigidez, rigor e tradição.
b)      Ruptura, liberdade e expressão.
c)      Individualismo, tradição e rigor.
d)      Continuísmo, estabilidade e coletivismo.
e)      Liberdade, revolução e continuísmo.

22 – Opera10 – Educação física
“A concepção de cultura corporal de movimento amplia a contribuição da Educação Física escolar para o pleno exercício da cidadania, na medida em que, tomando seus conteúdos e as capacidades que se propõe a desenvolver como produtos socioculturais, afirma como direito de todos o acesso e a participação no processo de aprendizagem. Favorece, com isso, a modificação do histórico da área, que aponta para um processo de ensino e aprendizagem centrado no desempenho físico e técnico, resultando em muitos momentos numa seleção entre indivíduos aptos e inaptos para as práticas da cultura corporal de movimento. O princípio da inclusão do aluno é o eixo fundamental que norteia a concepção e a ação pedagógica da Educação Física escolar, considerando todos os aspectos ou elementos, seja na sistematização de conteúdos e objetivos, seja no processo de ensino e aprendizagem, para evitar a exclusão ou alienação na relação com a cultura corporal de movimento.”

Em função desse texto, entende-se que a disciplina de Educação Física tem como principal objetivo:

a)     Preparar os alunos para o esporte competitivo de alto desempenho.
b)    Hierarquizar os alunos por meio de critérios técnicos e objetivos quanto ao seu desempenho atlético.
c)      Estimular o desenvolvimento motor de forma includente e respeitosa em relação aos direitos humanos e aos mais elevados princípios de cidadania.
d)      Preparar os alunos para o mundo do trabalho.
e)     Prevenir doenças e extinguir o sedentarismo entre os estudantes para que eles possam se desenvolver de forma igual do ponto de vista atlético.

23 – Opera10 – Funções da linguagem
Tic-tac

Esse tic-tac dos relógios
é a máquina de costura do Tempo
a fabricar mortalhas. (Mário Quintana)

Qual é a função da linguagem predominante no poema acima?

a)      Função emotiva.
b)      Função conativa.
c)      Função fática.
d)      Função poética.
e)      Função referencial.

24 – Opera10 – Literatura
A imagem abaixo extraída da internet faz alusão a qual processo de construção literária:

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Fonte: internet.

a)      Paronímia.
b)      Heteronímia.
c)      Homonímia.
d)      Hiperonímia.
e)      Toponímia.

25 – Opera10 – Arte
Leia com atenção a letra abaixo:

Estrada da Vida

Nesta longa estrada da vida
Vou correndo e não posso parar
Na esperança de ser campeão
Alcançando o primeiro lugar
Na esperança de ser campeão
Alcançando o primeiro lugar

Mas o tempo cercou minha estrada
E o cansaço me dominou
Minhas vistas se escureceram
E o final da corrida chegou

Este é o exemplo da vida
Para quem não quer compreender
Nós devemos ser o que somos
Ter aquilo que bem merecer
Nós devemos ser o que somos
Ter aquilo que bem merecer

Mas o tempo cercou minha estrada
E o cansaço me dominou
Minhas vistas se escureceram
E o final desta vida chegou. (José Rico)

Sobre a história da música caipira, marque a alternativa correta.

a)    Na música, é evidente o uso de referências da cultura caipira.
b)   É uma música que ilustra a presença de novos temas na música caipira como a estrada e as questões existenciais.
c)   É um exemplo evidente da tradição da música caipira, já que faz referência de forma humorística à cultura caipira.
d)   As muitas repetições de palavras na música são exemplos das limitações estéticas e intelectuais dos compositores oriundos dessa cultura.
e)   É um exemplo típico de música associado ao chamado pop sertanejo que se tornou extremamente popular no século XXI em especial pela referência constante ao universo do caminhoneiro.

26 – Opera10 – intertextualidade
Leia o poema abaixo e marque a alternativa correta sobre o tipo de intertextualidade que é mecanismo de construção importante da obra abaixo.

M. de memória

Os livros sabem de cor
milhares de poemas.
Que memória!
Lembrar, assim, vale a pena.
Vale a pena o desperdício,
Ulisses voltou de Tróia,
assim como Dante disse,
o céu não vale uma história.
um dia, o diabo veio
seduzir um doutor Fausto.
Byron era verdadeiro.
Fernando, pessoa, era falso.
Mallarmé era tão pálido,
mais parecia uma página.
Rimbaud se mandou pra África,
Hemingway de miragens.
Os livros sabem de tudo.
Já sabem deste dilema.
Só não sabem que, no fundo,
ler não passa de uma lenda. (Paulo Leminski)

a)      Citação.
b)      Paráfrase.
c)      Alusão.
d)      Bricolagem.
e)      Plágio.

27 – Opera10 – análise textual
Mano Brown
Boogie Naipe
Boogie Naipe/One RPM.
Rolling  Stone:
por Lucas Brêda
20 de Dezembro de 2016

Em mais de 11 minutos, a faixa “Tô Ouvindo Alguém Me Chamar”, clássico de Sobrevivendo no Inferno (1997, Racionais MC’s) só muda a batida em uma situação: para agravar a dramaticidade da história rimada por Mano Brown. Pedro Paulo Soares Pereira se consagrou como rapper ao versar, com a linguagem das ruas, sobre personagens complexos e intensos. É nessa lógica que ele se apoia em sua aguardada estreia solo, um trabalho conceitual centrado na paixão do artista pela black music que era feita uns 30, 40 anos atrás.
Brown, um homem glorificado pela destreza com as palavras, aparece se aventurando por dinâmicas sonoras diversas, fundindo vozes, batidas e melodias. Ele tem ajuda do onipresente Lino Krizz (ex-integrante da dupla Os Metralhas e backing vocal dos Racionais), além de Seu Jorge, Ellen Oléria, Hyldon e até do ídolo Leon Ware (antigo colaborador de Marvin Gaye), todos revezando refrãos e fraseados vocais em meio a raps e algumas desengonçadas investidas harmônicas de Brown. Nomes como Don Pixote, DJ Cia (RZO), William Magalhães, Dado Tristão, Carlos Dafé e Mara Nascimento também contribuem. O cenário é o baile black e tudo que o envolve: “mulheres elétricas’’, danças embaladas por Michael Jackson, paixões impossíveis e o sentimento de solidão em uma multidão. Musicalmente, há referências às baladas de Marvin Gaye e ao balanço de Jorge Ben Jor, com acenos ao soul de Tim Maia e ao romantismo de Guilherme Arantes. E, mesmo tendo o passado como alicerce, há espaço para experimentos (“Nova Jerusalém”) e texturas que dialogam com discos celebrados deste ano, de Malibu, de Anderson Paak, a Remonta, de Liniker, bem como vinhetas que remetem à estrutura de To Pimp a Butterfl y (Kendrick Lamar, 2015).
Brown rima pouco e com precisão, encaixando com cuidado perceptível a agressividade e a abordagem gangsta inatas do seu hip-hop no Boogie Malandro do trabalho. É bem verdade que nenhuma letra do álbum se sustenta como as de Nada como Um Dia Após o Outro Dia (2002, Racionais), por exemplo. No entanto, o rapper nunca se expôs com uma musicalidade tão aflorada. E nunca expressou tanto falando tão pouco. Arriscando, o maior MC do nosso hip-hop volta não para sabotar nosso raciocínio mas para se entregar às paixões musicais, às frustrações e esperanças de uma pista de dança – que, pelo menos por uma noite, pode ser a coisa mais importante da vida de alguém.

No texto acima, há interesse em:

a)     Fazer uma crítica negativa e centrada na ideia de que não vale a pena comprar o disco.
b)    Fazer uma análise do disco em função da carreira do artista Mano Brown e dos seus interesses musicais.
c)      Fazer uma crítica extremamente favorável ao disco “Boogie naipe” sem qualquer crítica ou avaliação que não seja muito positiva.
d)     Fazer uma deferência no sentido de mostrar o quanto ele é superior a toda obra de Mano Brown na banda Racionais MCs.
e)     Fazer uma comparação entre o Mano Brown no Racionais MCs com o trabalho solo dele com o intuito de mostrar a superioridade deste.

28 – Opera10 – análise textual

Resultado de imagem para melhores charges

Na charge acima, há uma palavra que está presente a fim de que seja vista com duplo sentido, qual é ela?

a)     Eca
b)      Humano
c)      Emissário
d)      Manda
e)      Quando

29 – Opera10 – análise textual
“Este mundo é redondo, mas está ficando muito chato.” [Barão de Itararé, Apparício Fernando de Brinkerhoff Torelly (1895-1971)]

“O gótico é uma barbárie sofisticada. É a paixão pela vida coberta pelo simbolismo da morte. É um amor cínico pelo sentimento. É uma combinação de extremos como sexo e morte. É utilizar a escuridão para iluminar. É acreditar que a obrigação é vã e vaidade é um dever. É a compulsão por fazer a coisa errada pelos motivos certos. É uma nostalgia ansiosa pelos dias sombrios que nunca existiram. É a negação da realidade e a transferência da fé para o imaginário. É o profano, o sinistro, o estranho.” (Gavin Baddeley, no livro “Goth Chic, um guia para a cultura dark”)

O recurso presente e comum aos dois aforismos acima e que foi usado como uma forma de articular as ideias em ambas construções é:

a)      Hipérbole.
b)      Personificação.
c)      Ratificação.
d)      Retificação.
e)      Paradoxo.

30 – Opera10 - gramática
O trecho abaixo é do conto “Pálpebras de neblina” de Caio Fernando Abreu, leia com atenção:

“Fim de tarde. Dia banal, terça, quarta-feira. Eu estava me sentindo muito triste. Você pode dizer que isso tem sido freqüente demais, ou até um pouco (ou muito) chato. Mas, que se há de fazer, se eu estava mesmo muito triste? Tristeza-garoa, fininha, cortante, persistente, com alguns relâmpagos de catástrofe futura. Projeções: e amanhã, e depois? e trabalho, amor, moradia? o que vai acontecer? Típico pensamento-nada-a-ver: sossega, o que vai acontecer acontecerá. Relaxa, baby, e flui: barquinho na correnteza, Deus dará. Essas coisas meio piegas, meio burras, eu vinha pensando naquele dia. Resolvi andar. Andar e olhar. Sem pensar, só olhar: caras, fachadas, vitrinas, automóveis, nuvens, anjos bandidos, fadas piradas, descargas de monóxido de carbono. Da praça Roosevelt, fui subindo pela Augusta, enquanto lembrava uns versos de Cecília Meireles, dos Cânticos: "Não digas 'Eu sofro'. Que é que dentro de ti és tu? / Que foi que te ensinaram/ que era sofrer ?" Mas não conseguia parar. Surdo a qualquer zen-budismo, o coração doía sintonizado com o espinho. Melodrama: nem amor, nem trabalho, nem família, quem sabe nem moradia - coração achando feio o não-ter. Abandono de fera ferida, bolero radical. Última das criaturas, surto de lucidez impiedosa da Big Loira de Dorothy Parker. Disfarçado, comecei a chorar.(...)”

Sobre a obra cima, marque a alternativa que melhor explica o uso dos modos e tempos verbais na construção dela.

a)     O verbo “estar” na expressão “Eu estava me sentindo muito triste.” remete a uma ação finalizada no passado.
b)     O verbo “sossegar” em “...sossega, o que vai acontecer acontecerá.” foi usado no presente do indicativo no sentido durativo.
c)    O verbo “acontecer” em “...o que vai acontecer acontecerá...” foi usado no sentido de indicar uma ação futura que seguramente acontecerá.
d)     O verbo “pensar” em “...eu vinha pensando naquele dia...” ocorre de forma a dar a entender que o pensar é algo permanente e característico do personagem.
e)      O verbo “doer” em “...o coração doía sintonizado com o espinho...” foi usada de forma a mostrar que esse evento ocorre repetidamente desde tempos imemoriais.

31 - Opera10 – tipologias textuais
Marque entre as alternativas abaixo a que corresponde à tipologia textual predominante no texto abaixo:

“Um dos enganos em que incorremos é confundir o sério com o aborrecido. Podemos dizer coisas importantes com um tom leve, inclusive divertido. Na história do pensamento há exemplos estranhos, mas facilmente traçáveis: Demócrito, entre os gregos, por suas histórias engraçadas; Luciano de Samósata, Voltaire, Diderot, Rabelais, inclusive Wittgenstein, que muitas vezes é muito divertido. Acredito que no insólito há um valor filosófico ao deslocar o olhar. O assombro é o ponto de partida da filosofia; Platão, Aristóteles, muitos filósofos o disseram. Se nos assombrarmos, começamos a ver as coisas de outro modo. Falta-nos assombro.” (Roger-Pol Droit, filósofo francês)

a)      Tipologia argumentativa.
b)      Tipologia expositiva.
c)      Tipologia descritiva.
d)      Tipologia narrativa.
e)      Tipologia injuntiva.

32 – Opera10 – análise textual
Leia atentamente os poemas abaixo e marque a alternativa correta sobre eles:

Le bruit des cabarets

Le bruit des cabarets, la fange des trottoirs,
Les platanes déchus s’effeuillant dans l’air noir,
L’omnibus, ouragan de ferraille et de boues,
Qui grince, mal assis entre ses quatre roues,
Et roule ses yeux verts et rouges lentement,
Les ouvriers allant au club, tout en fumant
Leur brûle-gueule au nez des agents de police,
Toits qui dégouttent, murs suintants, pavé qui glisse,
Bitume défoncé, ruisseaux comblant l’égout,
Voilà ma route — avec le paradis au bout.

(Paul Verlaine)
O ruído dos cafés

O ruído dos cafés; a lama das calçadas;
os plátanos pelo ar desfolhando as ramadas;
o ônibus, furacão de rodas e engrenagens,
enlameado, a ranger num rumor de ferragens
e girando o olho verde e rubro das lanternas;
os operários a caminho das tavernas,
com os cachimbos à boca a afrontarem os guardas;
paredes a ruir; telhados de mansardas;
sarjetas pelo chão resvaladiço e imundo, –
tal meu caminho, – mas com o paraíso ao fundo.

(Tradução de Onestaldo de Pennafort do poema “Le bruit des cabarets” de Paul Verlaine)

A voz dos botequins

A voz dos botequins, a lama das sarjetas,
Os plátanos largando no ar as folhas pretas,
O ônibus, furacão de ferragens e lodo,
Que entre as rodas se empina e desengonça todo,
Lentamente, o olhar verde e vermelho rodando,
Operários que vão para o grêmio fumando
Cachimbo sob o olhar de agentes de polícia,
Paredes e beirais transpirando imundícia,
A enxurrada entupindo o esgoto, o asfalto liso,
Eis meu caminho – mas no fim há um paraíso.

(Tradução de Guilherme de Almeida do poema “Le bruit des cabarets” de Paul Verlaine)


a)      Os poemas têm entre si uma relação intertextual convencionalmente chamada de paráfrase.
b)      Nos dois poemas em português, o último verso tem exatamente o mesmo sentido apesar do uso de algumas palavras diferentes.
c)     Na versão de Guilherme de Almeida, o poema do poeta francês Paul Verlaine é vertido para o português por meio de um universo mais denso, carregado e mesmo decadente do que a de Onestaldo de Pennafort.
d)    No sexto verso das versões do poema de Verlaine, as palavras “tavernas” e “grêmio” têm o mesmo sentido.
e)     Em função dos três textos acima, é possível afirmar que o processo de traduzir algo é mais confiável quanto mais conotativo é o texto a ser traduzido.

33 - Opera10 – variação linguística
A internet, especialmente por causa dos jovens, tem sido um ambiente em que uma nova variante da língua cotidianamente é desenvolvida, quando abreviações como vc, tb, fds, aki, e abs, que substituem você, também, fim de semana, aqui e abraço, respectivamente, têm sido comumente usadas.
Sobre esse fenômeno marque a alternativa correta.

a)      Essa forma de escrever em “chats”, comunicadores instantâneos e “e-mails” põe em risco a integridade do idioma e o empobrece. Portanto, no futuro, é certo afirmar que as formas de expressão escrita em Língua Portuguesa serão limitadas a palavras em que as vogais serão em menor número do que nas de hoje.
b)      Essa forma de comunicação escrita ambiciona simular o contexto de enunciação de um diálogo em forma gráfica, ou seja, a velocidade das respostas, o dinamismo, a troca de turnos ágil, etc. Portanto, não oferece riscos para o idioma, porque apenas contribui com uma nova variante para a Língua Portuguesa.
c)      É uma forma de gerenciar afetividade por meio da língua na sua versão escrita.
d)   É uma forma de se comunicar inferior à norma padrão, tal como variantes linguísticas como a gíria, oriundas da norma popular.
e)   Em função desse fenômeno linguístico e do massivo acesso de brasileiros à internet, é correto afirmar que essa forma de escrever influenciará rapidamente a norma padrão ditada pelas gramáticas.

34 - Opera10 – Arte música
“Hip-Hop é uma cultura que consiste em 4 subculturas ou subgrupos, baseadas na criatividade. Um dos primeiros grupos seria, e se não o mais importante da cultura Hip-Hop, por criar a base para toda a cultura, o DJ é o músico sem “instrumentos” ou o criador de sons para o RAP, o B.Boy (a dança B.Boy, Poppin, Lockin e Up-rockin) representando a dança, o MC (com ou sem utilizar das técnicas de improviso) representa o canto, o Writer (escritores e/ou grafiteiros) representa a arte plástica, expressão gráfica nas paredes utilizando o spray.” (Daniel Tocha)

Marque a alternativa correta sobre a origem e o desenvolvimento do RAP no Brasil e nos EUA.

a)    O RAP no Brasil seguiu e segue as mesmas preferências estéticas e temáticas do RAP estadunidense, por reproduzir ou adaptar apenas a música norte-americana sem que influências musicais brasileiras possam ser percebidas nos “raps” no Brasil.
b)     O RAP foi desenvolvido em bairros periféricos de cidades norte-americanas como New York em função do contato de negros norte-americanos e negros imigrantes jamaicanos. Foi por muito tempo nos EUA uma manifestação cultural estritamente negra, urbana, periférica e politizada.
c)  O RAP foi rapidamente assimilado pelas grandes redes de televisão norte-americanas, inclusive a MTV, que muito auxiliou no desenvolvimento do RAP até que ele se tornasse o fenômeno cultural de grande escala que é hoje nos EUA.
d)   O RAP é um ritmo musical que, hoje, no Brasil e em todo o mundo, tem uma relação muito evidente e explícita, com a ostentação e com os valores das classes mais abastadas.
e)    O sucesso do RAP dá-se de forma semelhante em diversas cidades do mundo como São Paulo, Bogotá, Luanda, New York, Paris, etc., onde tornou-se uma música pop, muita ouvida por todas as classes sociais e plenamente aceita pelos meios de comunicação de massa desses lugares.

35 – Opera10 – análise textual
Leia abaixo um trecho do poema “Os estatutos do homem” de autoria do poeta brasileiro Thiago de Mello e marque a alternativa correta sobre o tipo de documento a que ele intertextualmente se relaciona:

“Artigo I
Fica decretado que agora vale a verdade.
agora vale a vida,
e de mãos dadas,
marcharemos todos pela vida verdadeira.

Artigo II
Fica decretado que todos os dias da semana,
inclusive as terças-feiras mais cinzentas,
têm direito a converter-se em manhãs de domingo. (...)”

a)      Estatuto do idoso.
b)      Manifesto futurista.
c)      Os Dez Mandamentos.
d)      Declaração Universal dos Direitos do Homem.
e)      Manifesto Pau-Brasil.

36 – Opera10 – análise textual
Leia com atenção as duas primeiras estrofes de “Velha roupa colorida” (1976) de Belchior e marque a alternativa correta quanto às referências culturais presentes na música:

“Você não sente nem vê
Mas eu não posso deixar de dizer, meu amigo
Que uma nova mudança em breve vai acontecer
E o que há algum tempo era novo jovem
Hoje é antigo, e precisamos todos rejuvenescer

Nunca mais meu pai falou: She's leaving home
E meteu o pé na estrada, Like a Rolling Stone
Nunca mais eu convidei minha menina
Para correr no meu carro (loucura, chiclete e som)
Nunca mais você saiu a rua em grupo reunido
O dedo em V, cabelo ao vento, amor e flor, quê de um cartaz (...)”

a)      Semana de Arte Moderna de 1922.
b)      Movimento Hippie.
c)      Movimento Armorial.
d)      Movimento Verde-Amarelo.
e)      Manguebeat.

37 – Opera10 – análise textual
Carta sobrevive na era do e-mail
Ninguém questiona o fato de que a internet chegou para ficar e está transformando o modo como o mundo se comunica. A proliferação do uso de e-mails, sites de relacionamento e mesmo SMS enterrou para muitos a ideia de enviar uma carta. Mas os correios em todo o mundo descobriram que a carta não desapareceu. Há três anos, o envio de correspondências se mantém estável, segundo a União Postal Universal, fundada em 1874 em Berna. No mundo são 1,2 bilhão de cartas mandadas por dia. Por ano, os campeões são os americanos, com 199 bilhões de cartas. O Japão vem em distante segundo lugar, com 25 bilhões, e a Alemanha, com 21 bilhões. Segundo 193 correios do mundo, há grandes diferenças ainda entre os países sobre como as pessoas se comunicam. Na Arábia Saudita, a carta continua sendo a forma mais usada por trabalhadores imigrantes provenientes da Ásia para se comunicar com suas famílias em seus países de origem. Na África, a realidade é mais problemática. Somente uma a cada oito pessoas tem um endereço para onde alguém possa enviar uma carta. Se nem endereço fixo é uma realidade, a internet continua um sonho distante. No mundo, uma a cada três pessoas tem acesso à internet em casa. Mas a taxa é de uma a cada 20 nos países em desenvolvimento, segundo a União Internacional de Telecomunicações.
(Adaptado de: Agência Estado. Carta sobrevive na era do e-mail. Gazeta do Povo, 6 jun. 2010, p. 15.)

Lido o texto, marque a alternativa em consonância com as ideias expostas nele e com seus conhecimentos sobre a confecção de cartas e “e-mails”.

a)    Segundo o texto, o acesso à internet é mais amplo do que o envio de cartas.
b)   A falta de acesso à internet é determinada por muitos condicionantes semelhantes aos que impedem alguém de receber uma carta.
c)  A quantidade de envio de cartas por um povo é inversamente proporcional ao acesso à internet oferecido a esse grupo.
d)    As cartas exigem mais alfabetização do que o acesso à internet.
e)    A exclusão social determina a falta de acesso à internet na maioria das vezes, mas não dificulta o acesso a serviços postais.

38 - Opera10 - arte
Em 1915, foi lançada a controversa película “O Nascimento de uma Nação” de autoria do cineasta norte-americano D.W. Griffith. O filme marcou uma revolução técnica na sétima arte. Entretanto, integrantes da Ku Klux Klan, grupo violento e racista do sul dos EUA, são retratados como heróis, enquanto os negros são representados como vilões. Para muitos, o filme e seu idealizador são responsáveis por uma série de linchamentos de negros ocorridos no sul norte-americano e ainda pelo recrudescimento das ideias da Klan. Outros filmes como “Platoon”, “Assassinos por natureza”, “Old boy”, “Cães de aluguel” e “Apocalipse Now" são acusados de fomentar ódio e mesmo violência em muitos países.
Por outro lado, manifestações artísticas foram usadas como forma de protesto e denúncia de várias situações que atentavam contra os direitos humanos ou contra a humanidade, são exemplos: a participação do soul e do funk norte-americanos (James Brown, Sly and Family Stone, Funkadelic, Marvin Gaye, etc.) na luta pelos direitos civis dos negros nos EUA; a denúncia do bombardeio da cidade de Guernica na Espanha representado na obra “Guernica” de Picasso; as músicas e atitudes de John Lennon contrárias à Guerra no Vietnã que se opuseram a política belicista de governos norte-americanos; etc.

Sobre o poder transformador e influenciador da arte, marque a alternativa correta:

a)  A arte, de forma geral, é classificada como tal de acordo com o poder político estabelecido em uma época, contudo é uma relação provisória, pois só perdura durante o tempo de vigência desse “status quo”.
b)  O artista nunca deve ser responsabilizado pelas interpretações que os espectadores desenvolvem em relação a sua produção, mesmo porque a arte é sempre um ato humano em que a idiossincrasia do espectador é o único determinante para a forma como ela será compreendida.
c) A arte é um processo ideologica e esteticamente transitório, pois o que era considerado ofensivo, inadequado ou subversivo no passado pode não sê-lo hoje.
d)  A arte é produto do invento do artista que a produz, por isso não se pode associá-la a quaisquer contextos históricos ou culturais.
e)  A arte não é capaz de influenciar pessoas pelo ponto de vista ideológico neutro e imparcial que a define.

39 – Opera10 – análise textual
Leia o texto abaixo:

"O homem que não tem música dentro de si
Nem se comove com a harmonia dos sons mais doces
Foi feito para traições, estratagemas e pilhagens
O movimento de seu espírito é opaco como a noite
e seus afetos escuros como o inferno
Um homem assim não merece confiança"
(Willian Shakespeare)

A partir da análise das ideias apresentadas no texto, marque a alternativa correta.

a)     Segundo o autor do texto, a música cumpre um papel humanizador no homem.
b)     Segundo o autor do texto, não há razões morais para se desconfiar do homem que não gosta de música.
c)     Segundo o autor do texto, o homem que não gosta da música não merece viver.
d)    Segundo o autor do texto, o homem que não gosta de música não é capaz de amar e de ter afeto por alguém.
e)   Segundo o autor do texto, o homem que não gosta de música não é dotado de espírito.

40 – Opera10 - gramática
Leia atentamente a letra abaixo e responda ao que se pede:

O Meu Sangue Ferve Por Você
Sidney Magal
Composição: M. Pancol / J. Arel / C. Carrere / Vrs. Serafim Costa Almeida

Teu!
Todo teu
Minha!
Toda minha
Juntos essa noite
Quero te dar todo meu amor...

Toda!
Minha vida
(siiiiimm)
Eu te procurei
(nananananá)
Hoje sou feliz
Com você que é tudo
O que sonhei...

Oooohhhh!
Eu te amo!
Oooohhhh!
Eu te amo meu amor
Oooohhhh!
Eu te amo!
E o meu sangue ferve
Por você...(2x)

Você me enlouquece
Você é o que quero
Eu sou prisioneiro
Prisioneiro
Desse seu amor...

Toda!
Minha vida
(sim sim sim sim!)
Eu te procurei
Hoje sou feliz
Com você que é tudo
O que sonhei...

Oooohhhh!
Eu te amo!
Oooohhhh!
Eu te amo meu amor
Oooohhhh!
Eu te amo!
E o meu sangue ferve
Por você...(3x)

Sobre o uso de conectivos na música acima, o uso da conjunção “e” pode referir-se a qual relação de sentido além da adição.

a)      Concessão.
b)      Condição.
c)      Oposição.
d)      Alternância.
e)      Causa.

Observação: todas as questões deste simulado foram feitas pelo professor Estéfani Martins. O gabarito das questões foi publicado como comentário desta publicação.