sábado, 29 de julho de 2017

Redação - 20temasparaoEnem2017 - Proposta 2017E20 - homofobia (Enem, Vunesp, Unicamp, Fuvest, Uniube e demais vestibulares.)

Informação aos professores e educadores que usam este "site" como ferramenta pedagógica:

Depois de muito pensar; consultar amigos, outros professores, advogados; e conversar com muitos alunos, gostaria de informar a todos os educadores que usam o Opera10, que fico muito honrado com o interesse de vocês pelo que produzo e que não vejo nenhum problema que esse material seja usado em aulas e materiais didáticos de forma pontual (com a devida referência a este "site" ou a este "autor/professor") como o bom senso e a ética profissional e intelectual exigem. 
Entretanto, têm me sido mostradas frequentemente por alunos tantas cópias feitas das propostas de redação e de textos teóricos de minha autoria que isso passou a me incomodar e mesmo tenho tido acesso a materiais impressos retirados do Opera10 sem qualquer referência a mim ou ao "site". Tive acesso inclusive a três "apostilas" em que a integralidade do que está presente nesses extensos materiais foi retirado do Opera10 sem a minha autorização e mesmo sem nenhuma referência a mim ou ao Opera10, além disso foram vendidas a preços que considero duplamente desonestos. 
Enfim, penso que a informação é livre e deve circular, por isso jamais criarei dificuladades para que quaisquer pessoas tenham acessso ao Opera10, mas tomarei medidas judiciais severas contra aqueles que entendo serem desonestos comigo, um colega de profissão, e com os seus alunos, por fazerem o que justamente talvez punam quando seus alunos praticam o mesmo ato em redações ou provas, ou seja, a cópia.

Leia atentamente os textos abaixo.

Texto 01.
“A homofobia é o termo usado para designar o preconceito e aversão aos homossexuais. Atualmente a palavra é usada para indicar a discriminação às mais diversas minorias sexuais, como os diferentes grupos inseridos na sigla LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, transgêneros, travestis e intersexuais). A repulsa e o desrespeito a diferentes formas de expressão sexual e amorosa representam uma ofensa à diversidade humana e às liberdades básicas garantidas pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e pela Constituição Federal.  
Muitas vítimas de homofobia sentem-se impelidas a reprimir sua orientação sexual, seus hábitos e seus costumes, sendo freqüente a ocorrência de casos de depressão. É importante salientar que todo ser humano, independente de sua sexualidade, tem o direito ao tratamento digno e a um modo de vida aberto à busca de sua felicidade. A procura de ajuda psicológica e da Justiça é essencial para que a discriminação homofóbica afete da menor maneira possível a vida das vítimas.
A Constituição Federal brasileira não cita a homofobia diretamente como um crime. Todavia, define como “objetivo fundamental da República” (art. 3º, IV) o de “promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade, ou quaisquer outras formas de discriminação”.  É essencial ter consciência de que a homofobia está inclusa no item “outras formas de discriminação” sendo considerada crime de ódio e passível de punição.
Através da Lei Estadual 10.948/2001, o estado de São Paulo estabeleceu diferentes formas de punição a diversas atitudes discriminatórias relacionadas aos grupos de pessoas que tem manifestação sexual perseguida por homofóbicos e intolerantes. Atualmente está em tramitação no Congresso o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/2006 que tem como proposta a criminalização da discriminação gerada por diferentes identidades de gênero e orientação sexual.”

Para ter acesso à íntegra dessa publicação, clique no "link" abaixo à esquerda.


Texto 02.
“Foram mortas, em 2016, 343 pessoas lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transsexuais (LGBT) no Brasil — um recorde levantado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) nos 37 anos em que compila anualmente o número de vítimas fatais da homofobia. Isto que significa que, aproximadamente a cada 25 horas, pelo menos uma pessoa com estas orientações sexuais é assassinada no país, conforme adiantou a coluna de Ancelmo Gois. E o GGB alerta: a falta de registros ainda é um grave problema no Brasil, que ainda carece de registros centralizados e oficiais do tipo, portanto a realidade possivelmente é muito mais dramática.
Em 2000, foram registrados 130 homicídios; e em 2010, 260. Uma outra virada na tendência nos últimos anos ocorre a nível regional: o Norte vem liderando o número de assassinatos por habitantes, tirando a triste liderança de décadas da região Nordeste. Em 2016, foram computados 3,02 homicídios a cada um milhão de habitantes no Norte, seguido pelo Centro-Oeste (2,56), Nordeste (1,94), Sul (1,24) e Sudeste (1,19). Em números absolutos a nível estadual, estão na frente São Paulo (49 assassinatos), Bahia (32), Rio de Janeiro (30) e Amazonas (28).
Os autores do levantamento, baseado na compilação de casos a partir de buscas na internet e veiculação na mídia, destacam que foram documentados assassinatos em 168 municípios brasileiros — apesar da predominância em capitais, porém, os crimes não respeitam as fronteiras entre áreas urbanas e rurais, marcando cidades pequenas como Piranguinho (MG) e Bom Lugar (MA).”

Texto 03.




Situação 2017E20-A - Dissertação (USP, UFU, Unesp, Uniube, etc.)
Escreva uma dissertação a respeito das ideias veiculadas na charge do cartunista Dalcio Machado.

Mais sobre o cartunista:

Instruções:
1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.
3. Dê um título a sua redação.

Situação 2017E20-B – Outros gêneros textuais – crônica (Unicamp, UEL, etc.)
Faça uma crônica sobre as origens do preconceito contra homossexuais e as razões da existência desse tipo comportamentos violentos e homofóbicos na atualidade brasileira.

Instruções gerais:
1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: José ou Josefa. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
5. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação.
6. Quanto ao número mínimo e máximo de linhas e de acordo com o vestibular pretendido, informe qual o vestibular que você irá prestar para que possamos adequar a correção às exigências do concurso escolhido.

Situação 2017E20-F - Dissertação (Enem)
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “homofobia: um problema histórico de difícil enfrentamento”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.