sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Proposta 2018SF1A - Fuvest, Vunesp - vida, quando a vida começa, Bioética

Leia atentamente os textos abaixo.

Texto 01.

Texto 02.
“Desde sempre, e sem uma resposta satisfatória, as pessoas se perguntam quando começa a vida humana - o que teria implicações importantes na discussão sobre aborto, métodos contraceptivos e fertilização in vitro. Alguns argumentam que, desde o momento em que o espermatozoide fecunda o óvulo - processo que dá início à gestação -, já podemos considerar que há início da vida. Outros defendem que é preciso um coração pulsando e um cérebro funcionando, ou seja, a presença de sistema circulatório e nervoso - em torno do segundo mês de gestação -, para que o feto seja considerado um ser vivo. Entretanto, chegar a um conceito sobre vida parece impossível, porque esse debate é influenciado por valores religiosos, políticos e morais.”

Texto 03.
“A fecundação é um longo processo, de cerca de 12 horas, que começa com o reconhecimento específico e a ativação mútua dos gametas paterno e materno, maduros, e no meio adequado. A partir da região em que o espermatozoide alcança o ovulo, produz-se uma liberação de íons de cálcio que se difundem como uma onda, até a área oposta. Esta região do óvulo em fecundação será o dorso do embrião e o eixo dorso-ventral seguirá a direção da onda de cálcio. Perpendicular a ele, estabelece-se o eixo cabeça-extremidade. A concentração de íons de cálcio no espaço celular do óvulo que está sendo fecundado regula os processos que ocorrem ao longo do tempo da fecundação. O processo essencial que se regula por estes sinais moleculares é a estrutura do DNA, que, além de ser mais que a soma dos DNA do seu pai e da sua mãe, tem os cromossomos alinhados segundo os eixos corporais para dar lugar, sem solução de continuidade, ao embrião de duas células.” (Natalia López Moratalla, catedrática de Bioquímica da Universidade de Navarra)

Texto 04.
“Existem cinco argumentos que impedem a certeza científica que desde a fecundação há pessoa humana: 1) A grande maioria dos zigotos não se implanta no útero. A pergunta é: Será possível que a natureza desperdiça tantas pessoas ao eliminar tantos zigotos? 2) Antes da nidação, não existe individualização não se pode falar de pessoa. 3) Para que haja pessoa, requerem-se também informações operativas exógenas, e a informação que possui o zigoto é operativa para gerar os processos ulteriores do desenvolvimento. 4) Entre o zigoto e a pessoa futura, não existe relação física contínua como da potência ao ato, porque o zigoto sozinho é potência em termos de informação genética; se não entram em jogo muitos elementos exógenos, a potência que é o zigoto nunca passará a ser ato; somente com 6 a 8 semanas, o embrião terá as características de formação física e fisiológicas; 5) O processo do zigoto para a pessoa futura não é um contínuo físico senão um desenvolvimento em continuidade, porque no período inicial embrionário (6 a 8 semanas) sucedem importantíssimas e decisivas mudanças qualitativas.”
(Alberto D. Munera)

Situação 2017SF1A - Dissertação (USP, Unesp, Uniube, etc.)
Faça uma dissertação sobre a seguinte pergunta:

Se a morte é comumente entendida como a falência do sistema nervoso, inclusive para muitos sistemas jurídicos, esse critério também pode ser usado para determinar a vida humana?

Instruções:
1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.

3. Dê um título a sua redação.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Atualidades - Redação - 20temasparaoEnem - 2017E14 - Cultura digital, vício em tecnologia, por Estéfani Martins



Para ter acesso à integra da publicação, clique no link abaixo à esquerda.

20 temas possíveis para a Redação de vestibulares e Enem 2016 (parte 2), por Estéfani Martins

Licença Creative Commons


O trabalho Opera10 de Estéfani Martins está licenciado com uma Licença 


Baseado no trabalho disponível em www.opera10.com.br.

Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em www.opera10.com.br.


Resultado de imagem para bullying infográfico 11. Trotes, “bullying” e outras formas de violência nas instituições educacionais



Contextualizações, problematizações e propostas de redação

  • Primordialmente, deve ser identificado, reconhecido e tratado como um problema complexo, permanente e de difícil detecção, que é de responsabilidade de todos os envolvidos, a saber: Estado, sociedade, escola, estudantes e famílias.
  • Criação de projetos de formação continuada e obrigatória para educadores em todos os níveis da Educação Básica a respeito das causas, consequências e de como reconhecer o “bullying” no ambiente escolar.
  • Criação de campanhas permanentes e constantes em meios de comunicação de massa que relacionem o “bullying” aos efeitos que causa nas suas vítimas.
  • Estímulo estatal para que todas as escolas tenham a obrigação de criar campanhas e programas preventivos e perenes a respeito do “bullying”.
  • Melhoria e respeito a regras claras, rigorosas e pactuadas por meio do debate no espaço escolar que sejam intolerantes a qualquer tipo de agressão física, psicológica ou moral entre qualquer um dos envolvidos no ambiente das instituições educacionais.

Textos de aprofundamento




Intertextualidades

  • “Ciberbully” – filme.
  • “Tiros em Columbine” – documentário.
  • “Elefante” – filme.
  • “Quase um segredo” – filme.
  • “Bully” – filme.
  • "Na escola as crianças são cruéis: separadas parecem anjos de Deus, mas juntas, sobretudo na escola, são constantemente muito cruéis." (“Os irmãos Karamázov”, Fiódor Dostoiévski)



Interdisciplinaridades

  • A questão da ética entre crianças, muito em função de não serem pessoas totalmente formadas nesse aspecto.
  • Abordagem sobre como a escola ao longo do tempo tratou o "bullying".
  • A questão da tecnologia como forma de ampliar e aprofundar o alcance do "bullying".

Proposta(s) de redação relacionada(s)




Para ter acesso à íntegra da publicação, clique no link abaixo à esquerda.


20 temas possíveis para a Redação de vestibulares e Enem 2016 (parte 1 - atualização 2016-3), por Estéfani Martins

Licença Creative Commons
O trabalho Opera10 de Estéfani Martins está licenciado com uma Licença 
Baseado no trabalho disponível em www.opera10.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em www.opera10.com.br.

1. Mudanças climáticas


Contextualizações, problematizações e propostas de intervenção 

  • As intensas mudanças climáticas têm afetado a economia, em especial a agricultura de diversos países.
  • As mudanças climáticas também têm imposto a necessidade de imigrar em busca de sobrevivência para milhões de pessoas.
  • Praticamente todos os cenários futuros previstos pela ciência em decorrência da intensificação do Efeito Estufa são catastróficos.
  • A dificuldade de transformação, mesmo frente a tantos sinais evidentes, da matriz energética mundial para uma versão mais limpa e sustentável frente à dependência atual de combustíveis fósseis é vista por muitos cientistas como um risco muito sério para o futuro da humanidade.
  • Dentre as maiores dificuldades para lidar com as mudanças climáticas, destacam-se a dificuldade de rever o modelo econômico centrado na exploração da natureza, o receio de estadistas do mundo inteiro de tomar decisões de Governo mais sustentáveis serem motivos para desacelerar a economia, o consumismo entendido como meio de integração à sociedade e alcance da felicidade, etc.
  • Investimento global e de grande porte em energias renováveis e mais limpas é fundamental para melhorar a qualidade de vida nas cidades e para evitar o recrudescimento das mudanças climáticas em nível mundial.
  • Reurbanização das cidades e criação de bairros urbanisticamente mais razoáveis para que as pessoas dependam menos de formas de locomoção que não sejam a caminhada e o uso de bicicleta.
  • Conscientizar as pessoas sobre a necessidades de consumirem menos e de forma mais inteligente para diminuir a pressão crescente sobre recursos naturais que são finitos na maioria das vezes e a emissão de gases estufa resultado da atividade industrial e do comércio mundial.
  • Criar toda forma de incentivo para a criação, produção e consumo de máquinas e processos que sejam mais eficientes energeticamente e menos impactantes no processo de intensificação do efeito estufa..
  • Diminuir drasticamente o desmatamento no mundo inteiro.
  • As questões polêmicas e o acordo histórico firmado na Conferência da ONU sobre clima realizada em Paris.

Textos de aprofundamento














Intertextualidades 

  • “O dia depois de amanhã” – filme.
  • "Meet the Truth – Uma Verdade Mais que Inconveniente" - documentário.
  • “A era da estupidez” – filme.
  • “Uma verdade inconveniente” – documentário.
  • “Mudanças de clima, mudanças de vida” – filme.
  • "Bilhões de nós morrerão e os poucos casais férteis de pessoas que sobreviverão estarão no Ártico onde o clima continuará tolerável." (James Lovelock)
  • "Temos que ter em mente o assustador ritmo da mudança e nos darmos conta de quão pouco tempo resta para agir, e então cada comunidade e nação deve achar o melhor uso dos recursos que possui para sustentar a civilização o máximo de tempo que puderem." (James Lovelock)


Interdisciplinaridades
  • Aspectos geográficos associados às matrizes energéticas mundial e brasileira.
  • Causas e consequências do desmatamento e de queimadas ilegais.
  • Evolução do pensamento de que riqueza só se constrói com a exploração não sustentável de recursos naturais. É possível fazer um histórico desde a Revolução Industrial nos séculos XVIII e XIX a respeito desse processo.

  • Fonte: http://www.mudancasclimaticas.andi.org.br/node/147

Proposta(s) de redação relacionada(s)




Para ter acesso à íntegra da publicação, clique no link abaixo à esquerda.

Atualidades - Redação - 20temasparaoEnem - 2017E15 - Mobilidade urbana, por Estéfani Martins


Para ter acesso à integra da publicação, clique no link abaixo à esquerda.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Atualidades - Declaração Universal dos Direitos Humanos


Caras e caros,

Eis o texto completo da Declaração Universal dos Direitos do Homem, que, em tempos repletos de intolerância e fundamentalismo, não é só uma necessidade utilitarista em função de sua importância para a prova do Enem, mas também para que tenhamos - como cidadãos, indivíduos e seres humanos - ciência de um documento definitivo acerca do que podemos ser como coletivo, como um só povo unido em função da tolerância pela diferença, do apreço honesto e democrático pelo debate, da fascinação pela diversidade, da convivência pacífica e produtiva entre as religiões e da erradicação da fome e da guerra. Sonhos, sem dúvida, talvez mesmo utopias, mas certamente um objetivo honrado para continuarmos...


Declaração Universal dos Direitos Humanos

Para ter acesso à íntegra da publicação, clique no link abaixo à esquerda.

sábado, 28 de outubro de 2017

Códigos e Linguagens - Simulado Enem - 2017CL40 - por Estéfani Martins


Simulado Enem 2017CL40
Professor Estéfani Martins
40 questões – 100 minutos – 2,5 minutos por questão

1 – Opera10 – Análise textual
Leia atentamente texto abaixo e marque a alternativa correta a respeito do conflito apresentado de forma sutil no trecho abaixo:

"Rumor suspeito quebra a doce harmonia da sesta. Ergue a virgem os olhos, que o sol não deslumbra; sua vista perturba-se. Diante dela e todo a contemplá-la, está um guerreiro estranho, se é guerreiro e não algum mau espírito da floresta. Tem nas faces o branco das areias que bordam o mar; nos olhos o azul triste das águas profundas. Ignotas armas e tecidos ignotos cobrem-lhe o corpo. Foi rápido, como o olhar, o gesto de Iracema. A flecha embebida no arco partiu. Gotas de sangue borbulham na face do desconhecido. De primeiro ímpeto, a mão lesta caiu sobre a cruz da espada; mas logo sorriu." (José de Alencar, “Iracema”)

a)         o trecho mostra o conflito entre dois grupos indígenas distintos por território.
b)     o trecho mostra claramente o intenso conflito entre o homem branco e o indígena brasileiro é provocado pela agressividade do índio como a oposição à agressividade ainda maior dos povos conquistadores.
c)         o trecho sugere o conflito entre uma civilização autóctone contra uma invasora por meio do conflito entre representantes de cada um desses grupos.
d)     o trecho é um vivido exemplo da união harmoniosa entre as comunidades indígenas e os portugueses como representado em vários quadros românticos brasileiros.
e)      o trecho é um exemplo de como os índios faziam bem emboscadas contra os invasores europeus.

Para ter acesso ao simulado na íntegra, clique no link abaixo à esquerda.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Códigos e linguagens - Lista de Exercícios - Competência Enem - 19-10

Questões Códigos e Linguagens - Enem
Por Professor Estéfani Martins

1 – Opera10
Leia atentamente o texto abaixo sobre as vanguardas europeias ou estéticas e marque a alternativa correta a respeito delas:

“Entende-se, com esse termo – vanguarda – um movimento que investe um interesse ideológico na arte, preparando e anunciando deliberadamente uma subversão radical da cultura e dos costumes sociais, negando em bloco todo o passado o substituindo a pesquisa metódica por uma ousada experimentação estilística e técnica.” (Giulio Carlo Argan, 1909-1992, político, historiador e crítico de arte italiano. Autor de “Arte moderna”)

a)    É evidente a relação do texto acima com a primeira de todas as vanguardas: o Impressionismo. Isso se justifica em função do rompimento absoluto com o mimetismo que esse movimento estético impôs na arte do século XIX.
b)    Dentre as vanguardas, a que mais se dedicou segundo muitos historiadores da arte a romper com o passado foi o dadaísmo, em função de investir no absurdo, no lúdico, no ilógico como forma de contestar a produção artística anterior.
c)    Entre as vanguardas, as cores sombrias e fortes do Expressionismo são um exemplo do interesse pela ruptura com a arte acadêmica do século XIX, embora os temas fossem escapistas, leves e alegres.
d)    O Fauvismo foi uma das vanguardas com a linguagem mais agressiva em relação ao feito nos séculos anteriores, pois tinha como temas invariavelmente a morte, a guerra e o horror provocado pela desigualdade social cada vez mais evidente nas grandes cidades europeias.
e)    O Cubismo foi um movimento ligado substancialmente à arquitetura e à escultura que rompeu com os modelos estéticos anteriores em função do seu apelo geométrico na representação dos temas das esculturas, ainda que isso fizesse que com que a obra se tornasse hermética e inacessível para pessoas que não tivessem sólida formação artística.

Para ter acesso à lista completa, clique no link abaixo à esquerda.

Redação e Códigos e linguagens - Aula - Competência Enem - 19-10


Para ver a aula completa, clique no link abaixo à esquerda.

domingo, 15 de outubro de 2017

Artes - Lista de exercícios - por Estéfani Martins

Lista de exercícios 
Artes
Professor Estéfani Martins

1 - UEL
“Podemos dizer que as origens da Pop Art remetem ao Dadaísmo, uma vez que a apropriação de produtos industrializados na execução dos trabalhos artísticos era frequente. O artista Dadaísta Raoul Hausmann, por exemplo, usava embalagens de produtos comerciais em suas colagens. O imaginário fantasmagórico de Max Ernst foi construído com recortes de ilustrações populares.” (Adaptado: HONNEF, K. Pop Art. Alemanha: Paisagem, 2004. p. 15.)

Nesse contexto, assinale a alternativa correta.
a)    O caráter de apropriação dos elementos da cultura popular para os artistas Pop se aproximava do Dadaísmo por imitação, na tentativa de releitura dos trabalhos Dadá.
b)    Artistas Pop como Roy Lichtenstein, ao utilizarem a tira de quadrinhos - elemento da cultura popular - em grande escala, faziam crítica irônica ao Dadaísmo, uma vez que este era descomprometido política e culturalmente e com trabalhos que se voltavam sobre sua própria construção formal.
c)    Embora o Dadaísmo esteja na origem da Pop Art, as diferenças ficam evidentes à medida que se nota a relação harmônica de Dadá com a tradição da pintura neoclássica, enquanto os artistas Pop eram essencialmente experimentalistas.
d)    Há uma distinção muito clara nas intenções dos dois movimentos, dado o fato que a Pop Art utiliza-se da linguagem popular de forma despretensiosa, sem críticas, e o Dadaísmo é uma crítica ácida, entre outras coisas, ao “bom gosto” burguês.
e)    Apesar da aproximação formal da Pop Arte com Dadá, o artista Dadaísta Marcel Duchamp fazia crítica a ela por seu caráter “retiniano”, ou seja, devido aos apelos puramente visuais e decorativos.

Para ter acessso aos outros 29 exercícios desta lista, clique no link abaixo à esquerda.

14. Artes - Arte moderna brasileira e Semana de Arte Moderna de 1922 - por Estéfani Martins



Clique abaixo para ver o restante do estudo.

13. Artes - Arte moderna [Art Nouveau (Arte nova, Modern Style, Jugendstil, Stile Liberty, etc.), Arts & Crafts (Movimento das Artes e Ofícios), Arte Déco e Bauhaus.] - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ver o restante do estudo.

12. Artes - Arte moderna - por Estéfani Martins



Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

domingo, 8 de outubro de 2017

10. Artes - Arte romântica - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

9. Artes - Arte neoclássica - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

8. Artes - Arte barroca - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

7. Artes - Arte renascentista - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

6. Artes - Arte medieval - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

5. Artes - Arte paleocristã ou cristã primitiva - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

3. Artes - Arte grega - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

4. Artes - Arte romana - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

2. Artes - Arte egípcia - por Estéfani Martins


Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

1. Artes - Arte pré-histórica - por Estéfani Martins





Clique abaixo para ter acesso à teoria completa.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

O fim do futuro: uma breve e atormentada história da Ficção Científica, por Estéfani Martins


Considerado o primeiro filme de ficção científica, a obra “Viagem à Lua” era lançada em um dia como este, na França, no ano de 1902. A produção francesa foi inspirada em dois romances populares de sua época: “Da Terra à Lua”, de Julio Verne, e “Os Primeiros Homens na Lua”, de H. G. Wells. O filme teve roteiro e direção de Georges Méliès, com assistência de seu irmão Gaston Méliès. O filme foi sucesso de público em sua época e foi, provavelmente, além de ser o primeiro filme de ficção científica, o pioneiro sobre seres alienígenas. Uma de suas famosas cenas é a imagem de um foguete no olho do rosto na Lua. Fonte: https://seuhistory.com/hoje-na-historia/lancado-viagem-lua-considerado-primeiro-filme-de-ficcao-cientifica

“Fantasia é o impossível tornado provável. Ficção científica é o improvável tornado possível.”
(Rod Sterling, criador da série “Twilight Zone”)

“O equilíbrio entre ficção e realidade mudou na última década. Seus papéis estão invertidos. Somos dominados pela ficção. O papel do escritor é inventar a realidade.” (J. G. Ballard, autor de “Império do Sol”)

A ficção literária é certamente um bálsamo para muitas das dores e dos males que torturam a humanidade desde os tempos que remetem à aurora das civilizações. Nesse sentido, a literatura serviu de consolo e de escapismo para um número infindável de pessoas ao longo da História, mas a intensificação das angústias provocadas pelo rápido desenvolvimento da tecnologia e das cidades no século XIX impôs novas dificuldades para o gênero humano. Novas curas eram possíveis na mesma velocidade que novas doenças eram descritas; tecnologias eram criadas vertiginosamente para dar conforto para desconfortos criados décadas antes ou para criar necessidades que não existiam; embora, evidentemente, haja um sem número de tecnologias oriundas desse tempo que foram e são muito úteis à humanidade e que mudaram a perspectiva do homem de se relacionar com a sociedade, consigo mesmo e com o outro, são alguns exemplos: a fotografia, a refrigeração artificial e a lâmpada elétrica.

Para ler o restante do artigo, deseje uma vida longa e próspera para a pessoa mais próxima e depois clique no link à esquerda.

domingo, 1 de outubro de 2017

Atualidades - 20temasparaoEnem2017 - Estudo de sala - Propostas 2017E2 (sistema prisional) e 2017E1 (terrorismo)

 Para ter acesso à íntegra dessa publicação, clique no "link" abaixo à esquerda.

Atualidades - 20temasparaoEnem2017 - Estudo de sala - Propostas 2017E4 (refugiados) e 2017E3 (desemprego)








Atualidades - 20temasparaoEnem2017 - Temas, leituras e indicações - Propostas 2017E2 (sistema prisional) e 2017E1 (terrorismo)




Caras e caros,

Boa noite. Eis o fim do projeto 20 temas para o Enem com os dois últimos assuntos que acredito serem não apenas possíveis para a prova de Redação, mas, como os anteriores, também importantes para o Enem como um todo. Além, evidentemente, de também serem possíveis em quaisquer vestibulares ou concursos. 
Ao longo de todo o ano de 2017, no Opera10, produzi ou indiquei 329 textos diversos, 72 referências de aprofundamento e mais de 70 propostas de redação. Tenho certeza de que serão um diferencial não apenas nos concursos, mas também para a autonomia estética, política e estética de vocês, tão necessários nos tempos atuais.
Foi um ano longo e duro, mas espero que a dedicação de cada um de vocês seja de forma coerente coroada pelo seu sucesso nos exames que forem fazer. 
Informo que as publicações continuarão até o fim do ano, como sempre ligadas a questões associadas às Atualidades, às Artes, à Gramática, além de questões relativas à Redação.
Aproveito também para convidá-los para a o Clube do Livro que começarei com meu amigo e cocriador do Verso da Prosa Leobaldo Prado em Uberlândia. O livro que discutiremos no primeiro encontro será "Fahrenheit 451" de Ray Bradbury. Farei um publicação epecífica ainda nesta semana no Opera10 com detalhes sobre o funcionamento do Clube.

Temas atemporais
Tx2017-316
https://brasil.elpais.com/brasil/2017/08/31/politica/1504132332_350482.html?id_externo_rsoc=FB_BR_CM
Tx2017-317
http://www.bbc.com/portuguese/geral-39752430
Tx2017-318
https://tab.uol.com.br/criancas-cidades
Tx2017-319

Efemérides
Tx2017-320
50 anos da Funai

Tx2017-321 e 322
100 anos da morte de Osvaldo Cruz e Émile Durkheim

Para ter acesso à íntegra dessa publicação, clique no "link" abaixo à esquerda.

Redação - 20temasparaoEnem2017 - Proposta 2017E1 - terrorismo (Enem, Vunesp, Unicamp, Fuvest, Uniube e demais vestibulares.)

Leia com atenção os textos abaixo.

Texto 01.
“O que leva alguém a aderir ao terrorismo, de modo geral, e ao terrorismo-suicida, em particular? Por que pessoas optam por atitudes violentas na vida? Ignorância? Fanatismo? Impotência? Tédio?
Existem dois tipos de terroristas: de um lado, aqueles que matam e morrem em nome de Deus, de outro, os que o fazem em nome da Nação. Exemplos do primeiro encontramos no denominado terrorismo islâmico e, do segundo, nos Tigres Tâmeis, organização política armada nacionalista que, lutando por um Estado tâmil independente, atuou na guerra civil do Sri Lanka, ocorrida entre 1983 e 2009.
No caso do terrorismo islâmico, algumas respostas são ensaiadas: política externa das potências ocidentais no Oriente Médio e na Ásia, condições precárias de vida dos simpatizantes do terrorismo nessas regiões, em que a miséria associada à falta de educação e à doutrinação religiosa constitui matéria prima para a violência, incluindo a violência suicida. Não são raras as explicações a sugerir que o terrorismo suicida resulta de um determinismo do meio sobre o indivíduo, como se a pessoa fosse desprovida de qualquer autonomia: porque suas circunstâncias de vida foram desfavoráveis, tornou-se um fanático, eis, em síntese, a explicação mais usual para o terrorismo suicida. Quando se simplificam os fatos dessa maneira, somos levados a buscar soluções igualmente simplificadas, como, por exemplo, reduzir tudo a uma falta de educação, pressupondo com isso que pessoas educadas não flertam, nem aderem a propostas insanas. Se semelhante pressuposto fosse verdadeiro, como explicar a adesão de Heidegger ao nazismo? Motivos para fazê-lo certamente haverá, mas falta de educação não será um deles. Nem ignorância.
Não são poucos os casos de terroristas suicidas provenientes de contextos sociais completamente distintos daquilo que comumente se imagina seja o ninho onde se choca o ovo da serpente. No inicio de 2014, por exemplo, quatro jovens com pouco mais de 20 anos se explodiram no centro de Bagdá. Todos eles eram alemães, filhos de pai e mãe alemães, sem origem migratória. Por um motivo ainda misterioso, como eles, dezenas de outros jovens de origem europeia e cristã se juntaram à leva de migrantes muçulmanos que voluntariamente aderiram ao Estado Islâmico. Por quê? Também aqui haverá motivos que explicam semelhante atitude, mas, sejam quais forem, deles também não fazem parte nem as condições materiais de vida, nem a falta de educação desses terroristas.”

Para ter acesso à íntegra dessa publicação, clique no "link" abaixo à esquerda.