domingo, 4 de dezembro de 2016

Redação - Proposta 2016V3 - Suicídio (UFU, Enem e demais vestibulares.)

Leia com atenção os textos abaixo:

 

Texto 01.

Suicídio
A palavra suicídio (etimologicamente sui = si mesmo; -caedes = ação de matar) foi utilizada pela primeira vez por Desfontaines, em 1737 e significa morte intencional auto-inflingida, isto é, quando a pessoa, por desejo de escapar de uma situação de sofrimento intenso, decide tirar sua própria vida.
De acordo com dados atuais da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 3.000 pessoas por dia cometem suicídio no mundo, o que significa que a cada 30 segundos uma pessoa se mata. Estima-se que para cada pessoa que consegue se suicidar, 20 ou mais tentam sem sucesso e que a maioria dos mais de 1,1 milhão de suicídios a cada ano poderia ser prevista e evitada.
O suicídio é atualmente uma das três principais causas de morte entre os jovens e adultos de 15 a 34 anos, embora a maioria dos casos aconteça entre pessoas de mais de 60 anos. Ainda conforme informações da OMS, a média de suicídios aumentou 60% nos últimos 50 anos, em particular nos países em desenvolvimento. Cada suicídio ou tentativa provoca uma devastação emocional entre parentes e amigos, causando um impacto que pode perdurar por muitos anos.

Probabilidades
Através da observação dos casos de suicídios, pode-se constatar que há certos fatores que estão relacionados a uma maior ou menor probabilidade de cometer o suicídio. Por exemplo, as mulheres tentam o suicídio 4 vezes mais que os homens, mas os homens o cometem (isto é, morrem devido a tentativa) 3 vezes mais do que as mulheres. Isso se explica pelo fato de os homens utilizarem métodos mais agressivos e potencialmente letais nas tentativas, tais como armas de fogo ou enforcamento, ao passo que as mulheres tentam suicídio com métodos menos agressivos e assim com maior chance de serem ineficazes, como tomar remédios ou venenos.
Doenças físicas, tais como câncer, epilepsia e AIDS ou doenças mentais, como alcoolismo, drogadição, depressão e esquizofrenia, são fatores relacionados a taxas mais altas de suicídio. Além disso, uma pessoa que já tentou cometer o suicídio anteriormente tem maior risco de cometê-lo.
A idade também está relacionada às taxas de suicídio, sendo que a maioria dos suicídios ocorre na faixa dos 15 aos 44 anos. Doenças físicas, tais como câncer, epilepsia e AIDS ou doenças mentais, como alcoolismo, drogadição, depressão e esquizofrenia, são fatores relacionados a taxas mais altas de suicídio. Além disso, uma pessoa que já tentou cometer o suicídio anteriormente tem maior risco de cometê-lo. (...)

Fonte: Suicídio | ABC da Saúde

 

Texto 02.

Armas: nova lei evitaria suicídio


Psiquiatras americanos fizeram um apelo pela restrição ao acesso a armas de fogo como medida preventiva para reduzir o número de suicídios nos Estados Unidos, em estudo publicado em uma das principais revistas médicas do país.
O suicídio é a segunda maior causa de morte entre americanos com menos de 40 anos, e mais da metade das pessoas que tiram a própria vida no país o fazem usando armas de fogo, explica Matthew Miller, professor de políticas de saúde da Universidade de Harvard, co-autor do artigo publicado na edição de setembro do New England Journal of Medicine.
As estatísticas indicam que entre 33% e 80% de todas as tentativas de suicídio são impulsivas, com menos de cinco minutos entre a decisão e o ato em 24% dos casos, e menos de uma hora em 70% deles. Impedir suicidas de ter fácil acesso a uma arma de fogo durante um momento de crise é crucial para salvar vidas, insistem os médicos.
"O fato de que mais de 90% das pessoas que sobrevivem a uma tentativa de suicídio não repetem o gesto mostra o caráter passageiro e breve da maioria das crises suicidas", destaca o estudo. "Uma tentativa de suicídio com arma de fogo, no entanto, raramente dá uma segunda chance".
Por outro lado, overdoses de soníferos e outros medicamentos, ou o ato de cortar os pulsos (dois procedimentos que respondem por mais de 90% de todas as tentativas de suicídio) são bem menos fatais em comparação às armas de fogo no momento de tirar a própria vida, afirmam os pesquisadores.
"O melhor meio de reduzir as chances de sucesso de uma tentativa de suicídio é retirar as armas de fogo de dentro de casa", diz Miller. Os EUA têm o maior índice de armas de fogo por habitante. A segunda emenda da Constituição americana garante o direito individual de possuir uma arma.

Texto 03.
Resultado de imagem para suicídio no mundo

Texto 04.
“O câncer, a AIDS e demais doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) há duas ou três décadas eram rodeadas de tabus e viam o número de suas vítimas aumentando a olhos nus. Foi necessário o esforço coletivo, liderado por pessoas corajosas e organizações engajadas, para quebrar esses tabus, falando sobre o assunto, esclarecendo, conscientizando e estimulando a prevenção para reverter esse cenário.
Um problema de saúde pública que vive atualmente a situação do tabu e do aumento de suas vítimas é o suicídio. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais de que uma pessoa próxima está com ideias suicidas.
A esperança é o fato de que, segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. É necessário a pessoa buscar ajuda e atenção de quem está à sua volta.
Mas como buscar ajuda se sequer a pessoa sabe que ela pode ser ajudada e que o que ela passa naquele momento é mais comum do que se divulga? Ao mesmo tempo, como é possível oferecer ajuda a um amigo ou parente se também não sabemos identificar os sinais e muito menos temos familiaridade com a abordagem mais adequada?”

Situação 2016V3-A - Dissertação (USP, Unesp, Uniube, etc.)
Faça uma dissertação sobre as principais causas para a negligência e despreocupação da maioria das pessoas com o suicídio, apesar de ser uma causa de morte muito comum no Brasil.

Instruções:
1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.
3. Dê um título a sua redação.

Situação 2016V3-B – Outros gêneros textuais – manifesto (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Escreva um manifesto a ser publicado em uma rede social em que você conclame as pessoas a participar mais ativamente do Setembro Amarelo de 2017.

Instruções gerais:
1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: José ou Josefa. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
5. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação.
6. Quanto ao número mínimo e máximo de linhas e de acordo com o vestibular pretendido, informe qual o vestibular que você irá prestar para que possamos adequar a correção às exigências do concurso escolhido.

Situação 2016V3-C - Carta argumentativa (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Escreva uma carta argumentativa para uma autoridade de saúde pública que você julgar pertinente a fim de discutir a necessidade de políticas de saúde pública para combater a quantidade expressiva de jovens suicidas no Brasil.

Situação 2016V3-D – Artigo de opinião (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Faça um artigo de opinião a respeito dos desdobramentos do suicídio, especialmente para a família e amigos do suicida.

Situação 2016V3-E – Editorial (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Faça um editorial a respeito das questões universais a respeito do suicídio em contraponto com as típicas do Brasil.

Instruções UFU:
1. Após a escolha de uma das situações, assinale sua opção no alto da folha de resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero selecionado.
2. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
5. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.
6. Mínimo de 25 e máximo de 30 linhas.
7. ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Situação 2016V3-F - Dissertação (Enem)
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “a epidemia de suicídio no Brasil e suas consequências”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.