sábado, 19 de setembro de 2015

Redação - Proposta 2015-60 - ciberativismo

Leia atentamente os textos abaixo.

Texto 01.
“O Ciberativismo chega ao Brasil em meados de 1990, com o avanço da internet e a entrada de ativistas políticos, sociais e ambientalistas na rede. Para os ciberativistas o uso da internet é um meio de “driblar” os meios de comunicação tradicionais, que na maioria das vezes não oferecem espaço para que a opinião pública se manifeste. Com isso a rede se torna um espaço “público” em que os ativistas podem se manifestar, otimizando o impacto de suas idéias.
Apesar de parecer muito simples, e de depender apenas de um clique, o ciberativismo - que nasce com a entrada de ativistas na rede -, vem com uma proposta de conscientização através da internet. Na maioria dos casos uma movimentação que começa na internet e acaba nas ruas. E para isso não basta apenas o ciberativista, mas o ativista “real” também.
Hoje, o ciberativismo oferece uma série de canais e ferramentas para quem deseja abraçar uma causa. Com um clique é possível plantar uma muda de árvore no Brasil, enviar um e-mail direto ao primeiro ministro do Iraque, ingressar em uma regata rumo a Guantánamo, assinar uma petição contra o desmatamento da Amazônia, enviar sua foto em uma campanha mundial contra o desarmamento ou organizar uma manifestação em praça pública de um milhão de pessoas.”

Texto 02.

Texto 03.
Qual a relevância dos abaixo-assinados online para pressionar os parlamentares? 
Eu penso que seja tão relevante como os abaixo-assinados escritos.  Uma petição é uma petição.  Uma petição online só é mais fácil de organizar!
Sendo mais fácil, o sr. não acha que há um risco de promover o “ativismo de sofá” nesse tipo de campanha? 
Eu não sou contra o ativismo de sofá.  Qualquer forma que o cidadão use para se expressar é positiva.
Você vê aspectos da democracia direta nesse tipo de movimento? 
Não.  Democracia direta ocorre quando a decisão está nas mãos das próprias pessoas.  Eu prefiro ver os abaixo-assinados como formas de expressão.
Essas ferramentas online também não podem dar voz e força à intolerância e grupos que estimulam o ódio?  Como lidar com isso?
Você está certo.  Essas ferramentas online podem ser utilizadas pelas forças da escuridão e do ódio, e elas são!  Não há outra forma de lidar com isso além de promover educação, alfabetização e alfabetização digital.  E nós devemos também combater as má ideias online e offline.”

Situação 2015-60A - Dissertação (Enem)
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “efeitos do ‘ciberativismo’ no Brasil”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Situação 2015-60B - Dissertação (USP, Unesp, Uniube, etc.)
Faça uma dissertação sobre a seguinte afirmação de Umberto Eco e sua relação com o “ciberativismo”.

“Redes sociais deram voz a legião de imbecis.”

Instruções:
1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.
3. Dê um título a sua redação.

Situação 2015-60C – Outros gêneros textuais – Entrevista (Outros vestibulares)
Escreva as respostas de uma entrevista em que você responda a partir de suas ideias e palavras as perguntas feitas a Pierre Levy que constam no texto 3.

Instruções:
1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.

3. Dê um título a sua redação.