segunda-feira, 26 de maio de 2014

Redação - Proposta 2014-31 - pena de morte - comentário-carta-relato

Proposta de redação

Leia atentamente os textos abaixo.

Texto 01.
“Ao longo da história, vários métodos de execução já foram aplicados ao redor do mundo. Ainda hoje, a previsão de pena de morte está na legislação de diversos países, como China, Irã, Arábia Saudita, Iraque e Estados Unidos - que foram os que mais executaram presos em 2011, segundo a Anistia Internacional. Nem o Brasil pode ser considerado abolicionista: na Constituição Federal, o inciso XLVII do artigo 5º determina que não haverá pena de morte, salvo em casos de guerra declarada.
Em relação à variedade de métodos utilizados para a execução, a professora de Direito da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Marília Montenegro observa que o mundo ocidental opta por uma "humanização" da pena de morte. "A maioria dos estados nos Estados Unidos prevê injeção letal", descreve. Além disso, a professora ressalta que, mesmo com respaldo na lei, alguns países americanos não aplicam a punição há mais de 20 anos. Já no Oriente, os tipos de execução costumam ser mais violentos, explica a professora. "Na China, por exemplo, os métodos não são humanizados", diz. Ela aponta também que, em países dessa região, os crimes que podem levar à pena de morte são mais banais.
Na Idade Média, as execuções eram um espetáculo público, para ferir também a moral do indivíduo e de sua família. O professor do Departamento de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) José Rivair Macedo lembra o período da Guerra dos Cem Anos, na França entre os séculos XIV e XV, quando se registrou um número alto de execuções, que voltou a crescer com a consolidação da Inquisição na Igreja Católica, por volta do século XVII. Diversas pessoas morreram na fogueira, por decapitação ou enforcamento.
Mas como funcionam esses e outros métodos? Conheça dez tipos de pena de morte já aplicadas no passado e algumas ainda em prática.”

Texto 02.
“A China executou milhares de pessoas em 2013, ou seja, muito mais do que as 778 penas de morte aplicadas oficialmente no restante do mundo no mesmo ano, denunciou a organização Anistia Internacional (AI) nesta quinta-feira (27).
‘A China continuou executando muito mais pessoas do que os outros países do mundo em seu conjunto’, destacou a ONG em seu relatório anual sobre a pena de morte, publicado nesta quinta.
O número de penas capitais aplicadas é um segredo de Estado na China, motivo pelo qual a AI menciona apenas o número de "milhares" de pessoas executadas, com base em estimativas.
Com frequência, a AI pede a Pequim que torne públicos os dados sobre as condenações à morte e sobre as execuções.
Nos últimos anos, o gigante asiático eliminou a pena capital para certos "crimes de colarinho branco" e, em novembro passado, o governo prometeu incluir outros nessa lista.
Uma reforma de 2007, que exige a aprovação da Suprema Corte chinesa para todas as sentenças capitais, contribuiu para sua redução, de acordo com algumas organizações de direitos humanos.
Já a Human Rights Watch avaliou em janeiro que o número de execuções em todo o país "havia caído abaixo do limite das 4 mil (anuais) nos últimos anos", contra cerca de 10 mil há apenas uma década atrás.
Nos Estados Unidos, 2013 foi um ano de clara queda na aplicação das penas capitais, caindo a um de seus níveis mais baixos nas últimas décadas, de acordo com o relatório anual do Centro de Informação sobre a Pena de Morte (DPIC, na sigla em inglês).
Hoje, 22 países em todo o mundo aplicam a pena capital para certos crimes.”

Texto 03.


Texto 04.

Situação 2014/31/A - Dissertação (Enem)
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “punição, violência urbana e direitos humanos: conceitos conciliáveis?”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:

1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Situação 2014/31/B - Dissertação (USP, Unesp, etc.)
Faça uma dissertação sobre a sua posição a respeito da legalização da pena de morte no Brasil.

Instruções:
1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.
3. Dê um título a sua redação.

Situação 2014/31/C – Relato (UFU, Unicamp, UEL, etc.)
Escreva um relato em que você se coloque em primeira pessoa como um condenado à pena de morte no dia anterior à execução de sua sentença, sua narrativa deve acabar pouco antes da execução.

Instruções UFU:

1. Após a escolha de uma das situações, assinale sua opção no alto da folha de resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero selecionado.
2. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
5. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.
6. ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.
7. Mínimo de 25 e máximo de 30 linhas.

Situação 2014/31/D – Outros gêneros textuais – comentário (Unicamp, UEL, etc.)
Faça um comentário a ser publicado no site da Benetton a respeito da atitude dessa marca de fazer uma campanha contrária à existência da pena de morte.

Instruções:

1. Seu texto deve ter título.
2. Seu texto deve ter no mínimo 15 e no máximo 20 linhas.

Situação 2014/31/E - Carta argumentativa (UFU, Uniube, Unicamp, UEL, etc.)
Escreva uma carta argumentativa para o governador de um estado norte-americano com o objetivo de solicitar a comutação da pena de um condenado à pena capital. Lembre-se de criar um nome para esse detento, que é brasileiro, e de discutir o crime praticado por ele em solo estadunidense.

Instruções UFU:

1. Após a escolha de uma das situações, assinale sua opção no alto da folha de resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero selecionado.
2. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
5. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.
6. ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.
7. Mínimo de 25 e máximo de 30 linhas.

Instruções Uniube:

- no lugar da assinatura, coloque um traço.