terça-feira, 14 de março de 2017

Redação - A coesão textual (Atualização 2)


"A coesão não nos revela a significação do texto, revela-nos a construção do texto enquanto edifício semântico.”
(M. Halliday)

A coesão é uma relação semântica e gramatical entre um elemento do texto e algum outro crucial para a sua interpretação, seja ele do próprio texto ou não. Pode ser ainda um meio de conectar as ideias presente em discurso de modo que elas tornem-se um todo inteligível e contundente. Para tanto, são dois os tipos de coesão textual possíveis num texto: a coesão referencial e a sequencial.


A coesão referencial
Estabelece-se entre dois ou mais termos, sendo que um deles remete-se a outro elemento do texto ao menos, a que chamamos referente. É construída por meio de vários processos que envolvem mecanismos de reiteração, substituição, repetição, síntese, etc.

- Substituição de nomes por pronomes, numerais, advérbios, etc. (anáfora e catáfora)
Exemplos:

“A água é um dos bens mais preciosos que a humanidade possui. Essa, queanos parecia ser infinita, está escassa.” (anáfora)

Este mal que aterroriza muitos lares, a Pedofilia, está sendo alvo de estudos da Psicanálise.” (catáfora)

“Várias cidades brasileiras tiveram o privilégio de serem escolhidas como sedes da Copa do Mundo de 2014. Entretanto, cinco foram preteridas pelo comitê organizador do evento.” (anáfora)

“A Suíça é um país que tem se aproveitado de obscuras e imorais regras do seu próprio sistema bancário que permitem o depósito de dinheiro das mais duvidosas origens em seus bancos. , parece que as aparências realmente enganam.” (anáfora)

- Substituição por meio de “nominalizações” ou “verbalizações” - uso de substantivo que remete a um verbo anteriormente enunciado ou o contrário.
Exemplos:

“Muitos nazistas recusaram-se a confessar seus crimes durante a Segunda Guerra Mundial. Essa recusa provocou ainda mais a comunidade judaica quanto à vontade dela de que se fizesse justiça nos julgamentos do Tribunal de Nuremberg.”

“A necessidade de alimento fez com que, em muitos países ao longo do ano de 2008, milhares de pessoas fossem às ruas protestar contra essa situação. Mostrar-se necessitado de algo tão essencial, não é vergonhoso a não ser para a humanidade e para a ideia de civilização.”

- Substituição por epíteto - palavra ou frase que qualifica pessoa ou coisa individualmente ou em grupo.
Exemplo: 

"Argentina, Uruguai e Colômbia são países que são vistos como entre os mais prósperos da chamada América espanhola. Tais países são em parte produto, portanto, da cultura imposta pela Espanha durante a Colonização, mas também dos horrores e das injustiças atribuídas por muitos historiadores aos conquistadores e colonizadores espanhóis."

- Substituição por meio de perífrase ou antonomásia - expressão de conhecimento público ou peculiar responsável por caracterizar de forma específica um lugar, uma pessoa, etc.
Exemplo: 

"Paris foi uma cidade em que se encontraram muitos dos maiores intelectuais e artistas da história da humanidade. A Cidade Luz ainda tem esse perfil, ainda que a qualidade dos homens e mulheres do universo da intelectualidade e da arte que lá se encontram não seja o mesmo de outrora."

- Repetição de parte de um nome
Exemplo:

"Charles Baudelaire é um dos mais importantes poetas franceses. Sua obra máxima é o livro de poemas 'As Flores do mal'. Baudelaire também escreveu 'Paraísos artificiais', que trata de diversas questões acerca do ópio, do haxixe e do vinho."

- Reiteração por elipse - consiste na omissão de um termo ou expressão que pode ser subentendido pelas referências contextuais ou por já ter sido citado anteriormente.
Exemplos:

"O governo brasileiro investiu de forma intensa na criação de universidades públicas. Também estimulou a criação de centros federais de educação técnica e profissionalizante."

"Os EUA envolveram-se ao longo de sua história em vários conflitos pelo mundo. O Brasil, por sua vez, em poucos."

- Reiteração por metonímia – nesse caso, a coesão é estabelecida por uma relação de contiguidade semântica entre os termos, em que um remete-se ao outro por nome que representa parte de um todo.
Exemplo: 

"A monarquia ainda resiste em vários países do mundo. No Brasil, o trono não tem praticamente nenhuma importância na vida política do país." (símbolo pela ideia significada)

- Reiteração por meio de palavras ou expressões sinônimas ou quase sinônimas
Exemplo: 

Automóveis com pouca eficiência energética perderam vertiginosamente mercado nas últimas décadas. Por causa disso, carros híbridos ou com motores flexíveis tornaram-se uma opção viável economicamente para consumidores de todo o mundo.”

- Reiteração por associação - uma palavra retoma outra porque mantém com ela, em determinado contexto, vínculos que podem ser associados ao campo léxico, semântico ou estilístico ao qual ambas pertencem.
Exemplo: 

"As regiões de Santa Catarina e Maranhão foram pouco tempo atrás alvos de grandes enchentes responsáveis pelo sofrimento e pela destruição dos lares de milhares. Entretanto, tais alagamentos foram tratados de forma muito diferente pela mídia e, conseqüentemente, pelos brasileiros, pois aquela foi beneficiada por amplas campanhas feitas pelas maiores redes de televisão brasileiras, já esta foi praticamente ignorada pela chamada grande mídia."

- Reiteração por hiperonímia – relação estabelecida entre um termo mais genérico com outro mais específico ou limitado.
Exemplo: 

"A água é muito mais do que um recurso com que os seres vivos hidratam-se. Esse líquido, muitas vezes banalizado, é essencial para a existência da vida no planeta. Desde nossa origem até a atual crise pela qual essa substância passa, indiscutivelmente, sua história cruza-se com a da humanidade e a do mundo."


A coesão sequencial
Esse processo coesivo diz respeito aos procedimentos linguísticos por meio dos quais se estabelecem, entre segmentos do texto, diversos tipos de relações semânticas ou pragmáticas, à medida que o texto progride com o acréscimo de novas idéias. É construída por meio de dois mecanismos: a recorrência e a progressão.

- Coesão sequencial por recorrência ou parafrástica
Esse processo coesivo dá-se por meio de recorrência de termos, de estruturas (paralelismo), de conteúdos semânticos (paráfrase), de recursos fonológicos (rima, ritmo, etc.), de aspectos e tempos verbais com o intuito de produzir coesão em um texto. Exemplos:

“Um homem compra, compra, compra
Sem parar
Compra porque não sabe ver a si mesmo
Compra porque quer esconder de si mesmo
A razão última de tantas e variadas compras
Compra, compra, compra
Por não ter mais o que comprar
pois
tudo já foi vendido.” Vitório Sá  (recorrência de termos)

Se não houvesse desperdício de água, muitas pessoas não morreriam de sede. Se não houvesse desperdício de água, a necessidade de haver racionamentos no consumo desse recurso natural seria menor. Se não houvesse desperdício de água...” (paralelismo)

Em todo enunciado, informa-se sobre algo de uma determinada maneira, isto é, ao lado daquilo que se diz, há o modo como aquilo que se diz é dito." (paráfrase)

- Coesão sequencial por progressão ou frástica
É produzida por mecanismos linguísticos capazes de estabelecer uma seqüência lógica e inteligível entre as ideias utilizadas em um determinado texto. Esse recurso é fundamental para a inteligibilidade das informações presentes em um discurso e, evidentemente, das intenções que se tem em relação ao fato de essas idéias terem sido escolhidas, de toda forma, para juntas produzirem um sentido global que, em princípio, deve comunicar de forma coesa e coerente um determinado assunto, ponto de vista, argumento, etc. São exemplos:

Se o terrorismo não é, como a História mostra, um fenômeno exclusivamente islâmico como muitos pensam, então, devemos repensar o preconceito que acumulamos em relação a esse povo que tanto contribui para o avanço da humanidade nos últimos séculos.”

Embora sejamos uma espécie aparentemente incapaz de antever seus erros, apesar de nossa tão elogiada racionalidade, alguns homens têm tornado-se capazes de nos alertar sobre nossos principais erros, sempre amparados pelo desejo inesgotável de conhecer. Portanto, o estudo e o acesso à cultura são os únicos meios de sobrevivermos a nós mesmos.”


Abraços,

Professor Estéfani Martins
opera10@gmail.com