segunda-feira, 17 de março de 2014

Redação - Proposta 2014-14 - direito autoral - dissertação-editorial-entrevista

Proposta de redação

Texto 01.

Texto 02.

Pesquisa revela dados sobre propriedade intelectual
Liberdade econômica também é retratada em estudo

O Instituto de Estudos Empresariais (IEE) e o Instituto Liberdade (IL) apresentaram, nesta terça-feira, 17, o Índice de Direitos de Propriedade 2012 (IIDP) e o Índice de Liberdade Econômica 2012. O lançamento da pesquisa no Brasil aconteceu durante o 25º Fórum da Liberdade. O IIDP mede os direitos de propriedade material e intelectual de 130 países, que representam 97% do PIB mundial.
O índice revela as desigualdades econômicas entre os países que garantem os direitos de propriedade e aqueles que não garantem. O estudo é divulgado por 69 organizações em 53 países e seis continentes e utiliza como medidas os escores nos quesitos: Ambiente Político e Legal (PL), Direitos de Propriedade Material (DPM) e Direitos de Propriedade Intelectual (DPI).
Na lista, o Brasil aumentou o seu escore pelo quarto ano consecutivo, em 0,2 pontos e está em 60º lugar. A Finlândia figura em primeiro lugar, com um escore de 8,6 de 10, e a Suécia segue perto em segundo lugar com um escore de 8,5. Na região da América Latina, o Chile se classifica em primeiro lugar com um escore geral de 6,7. A versão completa da pesquisa está disponível, em inglês, no site www.propertyrightsalliance.org.
Também lançado no Fórum da Liberdade, o Índice de Liberdade Econômica 2012 classifica 184 países em 10 categorias de desempenho, com ênfase na eficiência regulatória e na criação de um ambiente empresarial pró-mercado. Publicação conjunta da Heritage Foundation e do Wall Street Journal, o estudo incentiva a abertura e livre competição, a transparência governamental e a igualdade de oportunidade. No índice, o Brasil subiu 1,6 pontos, contabilizando 57,9 pontos, número que posiciona a economia do país como a 99ª mais livre do mundo.


Texto 03.

“Na sociedade atual, as tecnologias de informação e comunicação (TICs) intensificam as relações sociais entre produtor e seus usuários de bens intelectuais, conecta pessoas aos processos e produtos informacionais, possibilitando o desenvolvimento de um novo modo de produção e circulação cultural por meio da colaboratividade, interação entre usuários da internet e da produção autônoma de conteúdos. Castells(2002) aponta para o surgimento de novas formas históricas de interação, controle e ação social, sendo necessário refletir sobre os canais de circulação e apropriação pelos indivíduos, pois estes são potenciais elementos ativos desses processos.” (Jean Carlos Ferreira dos Santos)

Texto 04.

Sociedade da informação ou em rede “recorre predominantemente às tecnologias da informação e comunicação para troca de informações, suportando a interação entre indivíduos e entre estes e instituições.” (Nazareno)

Texto 05.

“A rede coloca os indivíduos interconectados em um processo de interação, de intersubjetividade, de mediação cultural, abrindo a possibilidade para a descentralização de processos decisórios.” (Pierre Lévy)

Os meios de produção e de trocas culturais foram amplamente democratizados com o advento da internet, em especial, com o aumento da velocidade de conexão possibilitada pela chamada Web 2.0 e com o rápido progresso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs). Esse processo impôs uma lógica paralela à tradicional para o consumo de conteúdo e cultura pela rede, em função da criação de ambientes em que a troca de informação dá-se por meios muito horizontais e “multipontuais”, em que cada internauta é consumidor potencial de uma quantidade jamais vista de informação na rede e também produtor e mediador de informação para uma audiência potencial igualmente inédita.
Para muitos, essa liberdade possibilitada pelas TICs é uma meio de democratização de informação e oportunidades, para outros um risco enorme para a continuidade da indústria cultural, em especial a de jogos eletrônicos, a cinematográfica e a fonográfica. Diante desse contexto, escolha uma das situações abaixo acerca desse tema:



Situação 2014/14/A - Dissertação (Enem)
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Acesso à informação e progresso”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:

1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Situação 2014/14/B - Dissertação (USP, Unesp, etc.)
            Diante de tantas possibilidades em aberto sobre o uso de TICs para a produção, distribuição e compartilhamento de bens culturais, faça uma dissertação sobre a troca livre de informações culturais e artísticas pela internet.

Instruções:
1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.
- Dê um título a sua redação.

Situação 2014/14/C - Editorial (UFU)
Faça um editorial a ser publicado em uma revista ou jornal brasileiro de sua escolha sobre a criação de punições severas para aqueles que insistem no compartilhamento de arquivos - como músicas e filmes - pela internet sem respeitar as leis de direito autoral internacionais. Lembre-se que seu posicionamento deve ser coerente com o do veículo midiático escolhido por você.

Instruções UFU:

1. Após a escolha de uma das situações, assinale sua opção no alto da folha de resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero selecionado.
2. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
5. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.
6. ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.
7. Mínimo de 25 e máximo de 30 linhas.

Situação 2014/14/D – Outros gêneros textuais - Entrevista (Unicamp, UEL, etc.)
            Escreva uma entrevista em que o entrevistado seja um radical defensor da liberdade de informação.

Instruções:

1. Seu texto deve ter título.
2. Seu texto deve ter no mínimo 15 e no máximo 20 linhas.