segunda-feira, 10 de março de 2014

Redação - Proposta 2014-12 - igualdade de gênero - dissertação-relato-manifesto

Proposta de redação

Texto 01.
Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero foi instituído em 2005 pela Secretaria de Política das Mulheres, no âmbito do Programa Mulher e Ciência , com o apoio do CNPq/MCTI, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade – SECAD/MEC, Secretaria de Educação Básica – SEB/MEC e ONU Mulheres.
Consiste em um concurso de redações, artigos científicos e projetos pedagógicos na área das relações de gênero, mulheres e feminismos e tem por objetivo estimular e fortalecer a reflexão critica e a pesquisa acerca das desigualdades existentes entre homens e mulheres em nosso país e sensibilizar a sociedade para tais questões.
Atualmente, é ofertado a cinco categorias :
•  Categoria Estudante de Ensino Médio – redações;
•  Categoria Estudante de Graduação - artigos científicos;
•  Categoria Graduado(a), Especialista e Estudante de Mestrado - artigos científicos;
•  Categoria Mestre e Estudante de Doutorado - artigos científicos; e
•  Escola Promotora da Igualdade - projetos para as escolas de nível médio.
Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero é operacionalizado pelo Serviço de Prêmios/Diretoria de Cooperação Institucional do CNPq e pela SPM.


Texto 02.
Para Dilma, Brasil tem muito a fazer na busca pela igualdade de gênero
Por Bruno Peres | Valor

BRASÍLIA  -  A presidente Dilma Rousseff enumerou, na noite deste sábado, em rede nacional de rádio e TV, as vitórias alcançadas pelas mulheres brasileiras nos últimos anos, mas reconheceu que “o Brasil tem muito a comemorar e muito a fazer” na busca pela igualdade de gênero.
As declarações da presidente foram feitas em pronunciamento oficial sobre a comemoração do Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março.
“Como a primeira mulher a ocupar a Presidência do país, vejo com imensa alegria vários programas criados nos últimos anos. Vejo também que muitas barreiras ainda precisam ser rompidas para diminuir a desigualdade entre os gêneros e garantir mais direito - mais autonomia - às brasileiras de todas as classes sociais”, disse Dilma. ”Falo disso com a legitimidade da presidenta que ampliou as oportunidades para as mulheres e que, mesmo assim, sabe que é preciso fazer muito mais”, completou.
Ao dizer que este é “o século das oportunidades” e “o século do Brasil”, Dilma fez nova exaltação à população feminina. “Este é, sem dúvida, o século das mulheres. A mulher é a nova força que move o Brasil”, disse a presidente.
Dilma exaltou as mulheres empreendedoras - “que abrem seus próprios negócios e enfrentam, com coragem e competência, as dificuldades para crescer e prosperar”; a conquista pelas mulheres de mais da metade dos 4,5 milhões de empregos gerados nos últimos três anos no país; a participação feminina no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) - seis em cada dez alunos são mulheres; e a concessão de mais de metade das bolsas do ProUni e dos financiamentos do FIES a mulheres.
A presidente também comentou programas de apoio às mulheres vulneráveis socialmente. “Esse é um segmento que meu governo vê com especial atenção, pois, quanto mais pobre a família, mais a mulher tem um papel central na estruturação do núcleo familiar”, disse a presidente, destacando o combate à violência doméstica e a preferência pelas mulheres em ações do governo, como a titularidade dos cartões do programa “Bolsa Família” e das chaves do programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida”.
“Essas novas oportunidades garantem maior autonomia e independência às mulheres e são decisivas para romper o ciclo de violência em que muitas delas ainda vivem. No entanto, precisamos avançar e criar novos instrumentos”, disse.  “É preciso garantir salário igual para trabalho igual feito por mulheres e homens,  combater sem tréguas a violência que recai sobre as mulheres, diminuir ainda mais a burocracia e os impostos para que as empresas, lideradas por mulheres, sejam ainda mais numerosas, que muito mais mulheres ocupem o topo das decisões das empresas e das entidades representativas de toda natureza”, completou.

Leia mais em:

Texto 03.


Texto 04.



Situação 2014/12/A - Dissertação (Enem, etc.)
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “A igualdade de gênero no Brasil”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:

1 - O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2 - O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3 - A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4 - A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5 - A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6 - A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Situação 2014/12/B – dissertação (USP, Unesp, etc.)
Faça uma dissertação argumentativa sobre o seguinte tema:

A igualdade de gênero é uma construção social e cultural?

Instruções USP:

1. A redação deve obedecer à norma padrão da língua portuguesa.
2. Escreva, no mínimo, 20 e, no máximo, 30 linhas, com letra legível.
3. Dê um título a sua redação.

Situação 2014/12/C - Gêneros textuais – Relato (UFU, Uniube, Unicamp, UEL, etc.)
Escreva um relato em que se conte um episódio em primeira pessoa de uma mulher que luta em seu cotidiano por igualdade de gênero.

Instruções UFU:

1. Após a escolha de uma das situações, assinale sua opção no alto da folha de resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero selecionado.
2. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
4. Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
5. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.
6. ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.
7. Mínimo de 25 e máximo de 30 linhas.

Situação 2014/12/D – Outros gêneros textuais – manifesto (Unicamp, UEL, etc.)
Faça um manifesto em defesa do direito das mulheres, assine como uma instituição real que poderia escrever e tornar público um texto com esses objetivos.

Instruções:

1 - Não copie ou parafraseie trechos da coletânea de textos.
2 - Escreva, no mínimo, 25 linhas e, no máximo, 30.
3 - Dê um título para seu texto se for pertinente no gênero textual em questão.