quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Redação - Proposta de redação 2013-02-08

Texto 1.
“(...) A concepção de juventude como passagem parte do reconhecimento de que se trata de um período de transformações e por isso de buscas e definições de identidade, de valores e idéias, de modos de se comportar e agir. Disto decorre a percepção da juventude como momento de instabilidade: intensidade e arrojamento, por um lado, turbulência e descaminhos, por outro.

O lugar da política
Passados os períodos de maior mobilização dos anos 60 e 70, em que movimentos de jovens, sobretudo estudantes, irromperam com força na cena política desempenhando papel importante no combate e resistência aos governos militares, para onde teriam ido os jovens brasileiros das gerações seguintes? Os jovens das décadas de 80 e 90 seriam mais alienados que os das gerações que os antecederam? Que lugar ocupa a política para o jovem brasileiro de hoje?  (...). Diante disso, cabe dizer que, se os jovens se mantêm distantes das formas tradicionais da política, a grande maioria acha que pode mudar o mundo (mudar muito, 54%; mudar um pouco, 30%). E a mudança que os jovens fariam no mundo poderia ser a erradicação de seus problemas mais pungentes, a violência, o desemprego, a fome, as injustiças sociais, as drogas, a pobreza e a miséria. Podemos, então, dizer que as energias utópicas não estão esgotadas, que os adolescentes têm o desejo de um mundo melhor e apostam em sua capacidade de transformação.”

Publicado em Teoria e Debate, revista da Fundação Perseu Abramo, nº 45.  www.fpa.org.br

Texto 2.
“Conforme o contexto histórico, social e político, a expressão "participação política" se presta a inúmeras interpretações. Se considerarmos apenas as sociedades ocidentais que consolidaram regimes democráticos, por si só, o conceito pode ser extremamente abrangente.
A participação política designa uma grande variedade de atividades, como votar, se candidatar a algum cargo eletivo, apoiar um candidato ou agremiação política, contribuir financeiramente para um partido político, participar de reuniões, manifestações ou comícios públicos, proceder à discussão de assuntos políticos etc.”

http://educacao.uol.com.br/sociologia/ult4264u32.jhtm

SITUAÇÃO A – Enem

Em função da leitura dos textos motivadores e dos conhecimentos assimilados ao longo de sua formação, faça uma dissertação argumentativa sobre A PARTICIPAÇÃO POLÍTICA DOS JOVENS. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções:
• Seu texto deve ser escrito à tinta, na folha de redação.
• Desenvolva seu texto em prosa: não redija narração, nem poema.
• O texto com até 7 (sete) linhas escritas será considerado em branco.
• O texto deve ter, no máximo, 30 linhas.

SITUAÇÃO B – Outros gêneros textuais

Faça uma carta a um amigo, em que você tenta convencê-lo a participar efetivamente da política brasileira.

Instruções:
- Seu texto deve ter no mínimo 25 e no máximo 30 linhas.
- Assine sua carta como indicado pelo concurso de sua preferência.