quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Proposta 2012-24 - Uberaba - todas as turmas (entrega - 18-10-2012)


Leia atentamente o texto abaixo:

Texto 1. Lobato no Supremo

Audiência no STF discute hoje liberação de livro de Monteiro Lobato acusado de racismo e reacende debate sobre a adoção de obras literárias nas escolas

Monteiro Lobato, quem diria, atravessou o mensalão: hoje à noite ocorre no Supremo Tribunal Federal uma audiência de conciliação, convocada pelo ministro Luiz Fux, para discutir a distribuição, em escolas públicas, de "Caçadas de Pedrinho".
Em 2010, um parecer do CNE (Conselho Nacional de Educação, órgão ligado ao Ministério da Educação) recomendava a retirada do livro publicado em 1933 por Lobato (1882-1948) do Programa Nacional Biblioteca na Escola. O motivo: racismo.
O parecer do CNE que iniciou o caso foi suscitado, sobretudo pela abordagem, no livro, da personagem Tia Nastácia, devido a trechos como o que comparava a cozinheira a uma "macaca de carvão".
Desde então, a questão da distribuição do livro se arrasta, justificando a mediação do Supremo.
Em nota, o ministro Fux diz que ela se faz necessária por tratar de "relevante conflito em torno de preceitos constitucionais, no caso, a liberdade de expressão e a vedação ao racismo".
O MEC, no entanto, liberou, em ato homologatório no mesmo ano, a presença da obra no programa, desde que os exemplares distribuídos fossem acompanhados de uma "nota explicativa".
A tal nota deveria discutir "a presença de estereótipos raciais na literatura" de Monteiro Lobato e oferecer a devida contextualização histórica; mas isso não parece suficiente para o Iara (Instituto de Advocacia Racial), do Rio, e para o técnico em gestão educacional Antonio Gomes da Costa Neto.
Em 2011, o Iara impetrou mandado de segurança pedindo a reforma do ato homologatório do MEC.
O texto da ação diz: "Não há como se alegar liberdade de expressão" quando "a obra faz referências ao 'negro' com estereótipos fortemente carregados de elementos racistas".
"Não somos contra a circulação do livro. Mas entendemos que uma nota explicativa não basta", disse à Folha o advogado Humberto Adami, que representa o Iara.
A preocupação do Iara é criar um parâmetro a fim de evitar casos futuros.
Lobato, porém, não está sozinho entre autores consagrados levadas à berlinda no país. Ou no mundo. Em 2011, o romance "Huckleberry Finn", do americano Mark Twain (1835-1910) foi republicado em edição modificada nos EUA, por chamar negros pelo pejorativo "nigger".

Folha de S. Paulo. 11/09/2012.

Texto 2. Livros (Caetano Veloso)

Tropeçavas nos astros desastrada
Quase não tínhamos livros em casa
E a cidade não tinha livraria
Mas os livros que em nossa vida entraram
São como a radiação de um corpo negro
Apontando pra expansão do Universo
Porque a frase, o conceito, o enredo, o verso
(E, sem dúvida, sobretudo o verso)
É o que pode lançar mundos no mundo.
---
Tropeçavas nos astros desastrada
Sem saber que a ventura e a desventura
Dessa estrada que vai do nada ao nada
São livros e o luar contra a cultura.
---
Os livros são objetos transcendentes
Mas podemos amá-los do amor táctil
Que votamos aos maços de cigarro
Domá-los, cultivá-los em aquários,
Em estantes, gaiolas, em fogueiras
Ou lançá-los pra fora das janelas
(Talvez isso nos livre de lançarmo-nos)
Ou ­ o que é muito pior ­ por odiarmo-los
Podemos simplesmente escrever um:
---
Encher de vãs palavras muitas páginas
E de mais confusão as prateleiras.
Tropeçavas nos astros desastrada
Mas pra mim foste a estrela entre as estrelas.

Texto 3. Apple censura título de livro feminista de Naomi Wolf

Enquanto o romance Cinquenta Sombras de Grey, de conteúdo erótico sadomasoquista, transforma-se no grande sucesso editorial dos últimos anos, Vagina: A New Biography, um livro de teor científico e cultural sobre o órgão feminino, é censurado pela gigante Apple.

O título da obra da escritora americana Naomi Wolf (O Mito da Beleza) é apresentado como «V*****a» na loja do iTunes. No texto descritivo, o mesmo tratamento acontece todas as vezes que a palavra «vagina» é citada.
Ironicamente, a descrição diz o seguinte: «É um impactante novo trabalho que muda radicalmente como pensamos, discutimos e compreendemos a v*****a. A autora olha para o passado e mostra-nos como a v**a foi considerada sagrada por séculos até ser vista como uma ameaça.»
Wolf, na sua página no Facebook, republicou a matéria do jornal inglês Guardian, que notou a censura à obra.
«Vocês não vão acreditar: eu soube que a Apple está a censurar 'Vagina: A New Biography' no iTunes, embora palavrões são permitidos», publicou a autora.

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=591914


Texto 4.


Texto 5.



Proposta A – Dissertação (Enem, UFTM, USP, Unesp, etc.)

Em função da leitura dos textos abaixo e dos conhecimentos assimilados ao longo de sua formação, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre A CENSURA A LIVROS NO SÉCULO XXI. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Orientações:
• O texto com até 7 (sete) linhas escritas será considerado em branco.
• O texto deve ter, no máximo, 30 linhas.

Proposta B – Outros gêneros textuais - manifesto

Escreva um manifesto a ser publicado em uma rede social no qual você se posicione sobre a censura a manifestações e produções culturais de qualquer tipo.

Instruções:
•  Seu texto deve ter título.
•  Seu texto deve ter no mínimo 25 e no máximo 30 linhas.