segunda-feira, 6 de agosto de 2012

ATA - Módulo 7 - 2ano, 3ano e PV - Artes Visuais 6 - Arte Moderna: Dadaísmo, Abstracionismo e Surrealismo


O moderno e as vanguardas estéticas III



21:::Dadaísmo

- Corrente concebida em 1916 na sempre neutra Zurique por jovens majoritariamente franceses e alemães que, se tivessem permanecido em seus respectivos países, teriam sido convocados para o serviço militar, o Dada foi um movimento de negação e crítica do “status quo”, foi ao mesmo tempo fomentador da destruição e da criação. Assim, durante a Primeira Guerra Mundial, artistas de várias nacionalidades, exilados na Suíça, contrários ao envolvimento dos seus próprios países na Guerra, conceberam de forma calculada e intencional um movimento estético sem precedentes na história da arte, porque vanguardista e iconoclasta, além de radicalmente contrário a todo forma de autoridade e hierarquia. O movimento internacionalizou-se tão rapidamente quanto foi consumido pelo caos e pela postura anárquica que tão ferozmente cultivou.
- O Dadaísmo em mais um de seus paradoxos rompeu com quase tudo que o precedia em matéria de arte, mas foi influenciado pelas colagens do Cubismo, pelo tino da autopromoção do Futurismo;
- Os dadaístas fundaram um movimento artístico para expressar suas decepções em relação à incapacidade das ciências, artes e religiões de evitar a destruição da Europa pela guerra.
- Sua proposta era que a arte fosse libertada das referências racionalistas e tradicionais, assim constituíram uma ideologia avessa à cultura ocidental de até então. Em virtude disso, o Dadaísmo defendeu o absurdo, o ilógico, o descartável, o passageiro, o acaso, o fragmentado, a incoerência, a desordem, o caos, etc. Isso porque entendiam que a pretensão de que a lógica e a razão poderiam ser o norte para a solução de quaisquer problemas da sociedade falira com a Guerra, a miséria e a fome.
- A palavra Dada foi descoberta acidentalmente por Hugo Ball com ajuda de outros artistas num dicionário alemão-francês. Dada é uma palavra francesa que significa na linguagem infantil "cavalo de pau". Esse nome escolhido não fazia sentido, assim como, segundo eles, a arte que perdera todo a razão diante da irracionalidade da guerra.
- Os artistas dadaístas usaram intensamente a técnica do “ready-made”, que consiste em extrair um objeto do seu uso cotidiano e comum e, sem nenhuma ou com pequenas alterações, atribuir-lhe um valor estético e subjetivo. Outra técnica significativa para o movimento era a fotomontagem, que consistia em recortar imagens de fotografias, revistas e jornais para compô-las de forma quase sempre absurda, jocosa ou provocativa.
- O movimento defendia o niilismo, o questionamento da excepcionalidade da obra de arte, a crítica ao materialismo, a irracionalidade do processo artístico e a realidade mágica da infância e, acima de tudo, uma arte que prescindisse do exercício intelectual para dar lugar ao errático, ao imprevisível e ao acaso.

O Dadaísmo no Brasil

- No Brasil, o Dadaísmo referencia timidamente a obra do escritor Mário de Andrade no livro “Paulicéia desvairada”, no qual há um poema chamado “Ode ao burguês” em muito assemelhado a determinados poemas dadaístas. O prefácio do livro também assume uma ótica “non sense” quando recomenda aos leitores saber urrar caso queiram ler o poema citado.
- O Dadá repercute de forma intensa na produção artística de alguns brasileiros como o arquiteto, pintor e escritor Flávio de Carvalho (1899-1973) e o pintor e poeta Ismael Nery, em função do esforço de ambos para dessacralizar a obra de arte como algo destinado a uns poucos capazes de entendê-la ou produzi-la. Para tanto, usaram do absurdo para questionar os padrões artísticos mesmo da contemporaneidade.

Exemplos de arte dadaísta

- Duchamp, Marcel (1887-1968) pintor, escultor e poeta franco-norte-americano (Dadaísmo, ready made) - ready made - “Roda de bicicleta”.
- Duchamp, Marcel (1887-1968) pintor, escultor e poeta franco-norte-americano (Dadaísmo, ready made) - 1917 - ready made - “A fonte”.
- Höch, Hannah  (1889-1978) artista plástico dadaísta – foto montagem - “Contato com faca de cozinha”.
- Ernst, Max (1891-1976) pintor alemão (Surrealismo, Dadaísmo) - 1921 - “O Elefante Celebes”.
- Ernst, Max (1891-1976) pintor alemão (Surrealismo, Dadaísmo) - “A pequena glândula lacrimal que fala tique-taque”.
- Picabia, Francis (1879-1953) pintor e poeta francês (Dadaísmo) - 1913 - ost - “Dança de estrelas em um navio a vapor transatlântico”.

22:::Abstracionismo

O Suprematismo é “supremacia do sentimento ou da percepção puros na arte criativa.”
(Kasimir Malevich)

“Não há necessidade de expressar a arte em termos da natureza. A arte pode muito bem ser expressa em termos de geometria e ciências exatas.”
(Georges Vantogerloo)

- De forma ampla e pouca rigorosa, pode-se dizer que o Abstracionismo é uma corrente artística multifacetada em que não se percebem figuras, mas apenas formas, rabiscos, linhas, manchas, etc., sem um intuito específico e rígido de transmitir uma mensagem unívoca de sentido ou racionalizável, portanto recusa a figuração reconhecível e socialmente aceita. É, dessa forma, uma das mais radicais rupturas com o ideal de arte associado à imitação da natureza. Dentre os movimentos mais destacados derivados dessa concepção geral estão o Abstracionismo pioneiro de Wassily Kandinsky, o Suprematismo de Malevitch, o Abstracionismo Geométrico do grupo de De Stijl de Mondrian, o Construtivismo de Vladmir Tatlin, o Abstracionismo Lírico de George Mathieu e mesmo o Expressionismo Abstrato de Jackson Pollock.
- A partir do Abstracionismo, as figuras são reduzidas a formas geométricas ou absolutamente não figurativas. As linhas e as cores adquiriram um valor independente da realidade, pois a arte não tinha que representar o concreto, apenas os impulsos estéticos ou as emoções do artista.
- A arte abstrata buscou romper qualquer relação com a Natureza, usando uma linguagem puramente abstrata, em que se buscava ritmo e dinamismo por meio da cor e das formas. Portanto, é uma arte não figurativa, por isso não manifesta a realidade sensível ou a sua ilusão, mas abstrai dessa realidade outra: a das linhas e cores conjugadas apartadas da realidade.
- O pintor russo Wassily Kandinsky foi um dos seus principais representantes e teóricos, posteriormente o movimento diversifica-se por meio de um geometrismo puro, com Piet Mondrian.
- O Abstracionismo divide-se em algumas correntes:
Abstracionismo Lírico - dimensão não objetiva da arte, resultado dos experimentos de decomposição cubista e futurista da figura. Kandinsky é o inspirador dessa corrente, porque, a partir de suas experiências expressionistas, quando pesquisou e testou diversos meios de rompimento com a arte tradicional e figurativa, encontrou-se com o Abstracionismo como a forma mais eficiente de negação da figuração. Fortemente ligados à Música, os teóricos do Abstracionismo Lírico pretendem tocar a alma do espectador pelo impulso visual puro, o que permitiria a eles absoluta liberdade para usar a subjetividade como forma de entendimento particular da obra. No caso de Kandinsky, isso fica claro também pelos títulos que aludem a uma terminologia do campo musical como “improvisação”, “composição”, etc.
Abstracionismo geométrico - a vertente geométrica do Abstracionismo foi concebida por Mondrian de modo em certa medida concomitante e independente de Kandinsky. Essa corrente artística abstrata constitui-se de formas geométricas como círculos, quadrados e retângulos dispostos de forma a representar conotações e subjetivismos do autor, mas também ao espectador. Como principal expoente do grupo holandês De Stijl (O Estilo), Piet Mondrian definiu esse estilo abstrato e geométrico pelo uso de formas quadrangulares e retangulares definidas por linhas horizontais e verticais negras responsáveis por impor método e organização à composição. O uso de cores primárias destaca-se na obra desse pintor. De forma geral, a pintura abstrata geométrica é definida pela abordagem matemática, racional, equilibrada e estável da composição artística. O Abstracionismo Geométrico influenciou decisivamente o design, a arquitetura e a moda do século XX de forma indelével e ainda gerou duas correntes: o Suprematismo, movimento russo de arte abstrata fundado por Malevich caracterizado pela intensa austeridade e máxima economia no uso de formas e cores para construir composições totalmente abstratas e econômicas sob um fundo geralmente branco, de forma a simular uma espécie de suspensão das formas abstratas representadas; e o Construtivismo, movimento de arte abstrata também russo idealizado por Vladmir Tatlin que assimilou referências tecnológicas modernas e influências cubistas, além das associadas aos primeiros anos da revolução Russa, e questionou a arte como um fazer especial da experiência humana, ao contrário a admitia como parte integrante do cotidiano e da vida prática, ainda que puramente abstrata.

Abstracionismo no Brasil

- No Brasil, as diversas vertentes do abstracionismo tiveram grande acolhida e vigor na arte brasileira desde a sua chegada no início do século XX.
- As tendências construtivistas e suprematistas influenciariam o movimento concretista brasileiro da segunda metade do século XX em São Paulo principalmente.
- O Abstracionismo teve como principais expoentes no Brasil os artistas Manabu Mabe, Tomie Ohtake, Luis Sacilotto, Abraham Palatinik, Ivan Serpa, Antônio Bandeira, entre outros.

Exemplo de arte abstracionista

- Kandinsky, Wassily (1866-1944) pintor abstrato de origem russa naturalizado francês e professor da Bauhaus - 1913 - óleo sobre tela - “Composição VII”.
- Kandinsky, Wassily (1866-1944) pintor abstrato de origem russa naturalizado francês e professor da Bauhaus - 1914 - óleo sobre tela - “Fuga”.
- Mondrian, Piet - Pieter Cornelis Mondrian (1872-1944) pintor holandês (Abstracionismo, Neoplasticismo) - 1930 - óleo sobre tela - “Composição II em vermelho, azul e amarelo”.
- Malevich, Kazimir Severinovich (1879-1935) pintor e teórico de arte russo (Abstracionismo, Vanguarda suprematista)  - 1918 – “Composição suprematista, branco em branco”.
- Malevich, Kazimir Severinovich (1879-1935) pintor e teórico de arte russo (Abstracionismo, Vanguarda suprematista)  - 1923 - ost – “Quadrado negro”.
- Tatlin, Vladimir (1885-1953) pintor ucraniano (Concretismo) - 1911 - ost – “Peixeiro”.
- Ohtake, Tomie (1913-) pintora japonesa naturalizada brasileira (Abstracionismo informal) - 1990 - ost - “Abstrato”.
- Mabe, Manabu (1924-1997) pintor, desenhista e tapeceiro japonês naturalizado brasileiro (Abstracionismo) - 1975 - óleo sobre tela - “Abstrato Sobre Ocre”.
- Bandeira, Antônio (1922-1967) pintor e desenhista brasileiro - 1950 - “Composição abstrata”.
- Sacilotto, Luiz (1924-2003) pintor, desenhista e escultor brasileiro (Abstracionismo) - 1953 - esmalte sobre compensado - “Paralelas iguais com efeitos diferentes”.
- Sacilotto, Luiz (1924-2003) pintor, desenhista e escultor brasileiro (Abstracionismo) - 1984 - têmpera rhodopás sobre tela fixada em duratex - “Concreção 8457”.
- Bandeira, Antônio (1922-1967) pintor e desenhista brasileiro - 1950 – “Composição abstrata”.
- Serpa, Ivan Ferreira (1923-1973) foi pintor, desenhista, professor e gravador brasileiro (Abstracionismo-Neo-concretismo-Nova objetividade) - 1953 - ost - “Sem título”.

23:::Surrealismo

Os artistas devem “buscar um modelo puramente interior ou deixar de existir.”
(André Breton)

- Iniciado em Paris e influenciado pelas teorias psicanalíticas de Freud, este movimento baseou-se na expressão do surreal, ou seja, do inconsciente, do bizarro e do impossível. Surge na década de 1920 com o Manifesto Surrealista de André Breton, que recusava as regras que definem ordem e beleza segundo preceitos renascentistas e tradicionais, para tanto defendia a restauração dos sentimentos humanos e do instinto na arte, além da espontânea representação dos sonhos. A rejeição do racionalismo e da lógica e a sobrevalorização do inconsciente são as marcas basilares do Surrealismo.
- O movimento surrealista, assim como o Dadaísmo, nasce literário, porém rapidamente passa a influenciar a pintura, a escultura, a fotografia e o cinema com intensidades diversas.
- O Surrealismo propõe que o homem liberte-se da razão instrumental, da autocrítica baseada no senso comum e da lógica científica, para expressar a intimidade humana no que ela tem de mais inconsciente, delirante, onírica, incoerente ou ilógica. Para tanto, além da produção artística, os artistas e entusiastas do Surrealismo promoviam sessões de “escrita automática”, hipnose, transe, além de serem simpáticos ao uso de drogas e álcool como meios de libertação do inconsciente.
- A obra surrealista representa cenas insinuantes e imprevisíveis com figuras exóticas e fantásticas, além de usar objetos comuns transpostos para um mundo onde as leis naturais nada valem, assim como os dadaístas faziam. Nas obras surrealistas, as imagens oscilam da serenidade dos sonhos à inquietação promovida por acontecimentos produzidos pelo acaso e pela coincidência e até mesmo por pesadelos.
- Diferente da maioria das vanguardas europeias, o Surrealismo aponta para um regresso à figura representada de forma tecnicamente muito apurada e detalhista, ainda que submetida aos temas inusitados do movimento surrealista.

Surrealismo no Brasil

- O Surrealismo no Brasil tem grande influencia em diversos tipos de artes, especialmente na Literatura e nas artes Plásticas ao longo do século XX.
- As ideias do surrealismo foram primeiramente assimiladas no Brasil nas décadas de 1920 e 1930 pelo movimento modernista brasileiro. Por isso, já podemos observar aspectos surrealistas na obra de Tarsila do Amaral como “Abaporu”, “Lua” e “Antropofagia”. Ismael Nery, Cícero Dias, Maria Martins entre muitos outros seriam importantes expoentes do desenvolvimento das concepções surrealistas no Brasil.

Exemplos de arte surrealista

- Dalí, Salvador - Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Domènech (1904-1989) pintor surrealista catalã - “Cristo Crucificado”.
- Dalí, Salvador - Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Domènech (1904-1989) pintor surrealista catalão - “Cinquenta, tigre real”.
- Tanguy, Raymond Georges Yves (1900-1955) pintor surrealista - 1927 - ost - “Mamãe e papai estão feridos”.
- Magritte, Rene (1898-1967) pintor surrealista francês - “As afinidades eletivas”.
- Nery, Ismael (1900-1934) pintor brasileiro (Expressionimo-Cubismo-Surrealismo) - 1927 - ost - “Figura”.
- Chagall, Marc (1887-1985) pintor, ceramista e gravurista surrealista russo-francês - 1917 - ost - “O andar”.
- Chagall, Marc (1887-1985) pintor, ceramista e gravurista surrealista russo-francês - 1927 - “A amazona”.
- Ernst, Max (1891-1976) pintor alemão (Surrealismo, Dadaísmo) - 1940 - “A roupa da noiva”.