quinta-feira, 28 de abril de 2011

Proposta de 2011-S10 (3º anos e PV – Uberaba)

Proposta de 2011-S10 (3º anos e PV – Uberaba)

Texto 1
Mortes no trânsito crescem 24% em 10 anos, puxadas por acidentes de moto
'Mapa da Violência' mostra que óbitos envolvendo motocicletas subiram 754%, proporção maior que a frota
13 de abril de 2011

SÃO PAULO - O aumento nos acidentes com motociclistas fez com que as mortes no trânsito brasileiro crescessem 23,9% entre 1998 e 2008, segundo o Mapa da Violência 2011: Acidentes de Trânsito, compilação divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Sangari. Na década estudada, as mortes ocorridas em acidentes de motos cresceram 754%. As mortes de ciclistas também assustam: registraram um aumento de 308%.
Ao mesmo tempo, o número de óbitos envolvendo automóveis foi proporcionalmente menor que o aumento da frota. "Se nada mudar, até 2015 teremos um massacre de motociclistas", disse à BBC Brasil Julio Jacobo Waiselfisz, diretor de pesquisa do Instituto Sangari e autor do estudo.
Ele cita uma "reconfiguração" dos padrões de acidente desde a adoção do Código de Trânsito, em 2007. Desde então, caíram em 15,6% as mortes de pedestres, e morrem menos pessoas por automóveis em circulação. Mas, no caso das motos, ocorreu o oposto: o risco de morte cresceu mais do que a própria frota, afetando principalmente a população entre 18 e 24 anos do sexo masculino.
"Se nada for feito, a tendência é que essas mortes continuem aumentando, em ritmo de 4% ao ano", trazendo elevados custos sociais, financeiros e emocionais, diz Jacobo Waiselfisz.
Educação. Para o estudioso, a redução nas taxas de mortes de pedestres se deveu a campanhas educativas e à maior fiscalização, por exemplo, da obediência à faixa de pedestres. Ele sugere medidas parecidas para lidar com o aumento na frota e nos acidentes envolvendo motos. "Faltam legislação adequada, educação no trânsito e fiscalização", diz, citando também a tensão constante entre motociclistas e os demais agentes do trânsito.
"O elevado risco-motocicleta deveria ser compensado com uma legislação que pudesse tornar mais segura a vida, não apenas dos motociclistas como também dos pedestres, vítimas dessa nova ameaça no trânsito", conclui o estudo. "Mas isso não vem ocorrendo, e o meteórico crescimento no número de vítimas indica a magnitude dessa inadequação. Propomos políticas específicas para a formação e o treinamento dos motociclistas, a definição de requisitos específicos para serviços de entrega e o reforço das campanhas educativas."

BBC Brasil

Fonte

Texto 2
Veja 10 curiosidades sobre a frota paulistana
A cidade de São Paulo ultrapassou em março a marca de 7 milhões de veículos. Entenda o que isso significa:

1 carro para cada morador do Rio de Janeiro
Se a atual frota paulistana fosse doada aos moradores do Rio de Janeiro, cada um receberia um veículo e ainda sobraria 1 milhão.

5 filas de carros de Norte a Sul do Brasil
Enfileirados, os 7 milhões de veículos subiriam de São Paulo até Fortaleza, desceriam para Porto Alegre e voltariam para São Paulo cinco vezes.

2 veículos na garagem
Pelo último censo do IBGE, a população de São Paulo é de 10,9 milhões de habitantes, o que representa 2 veículos para cada 3 paulistanos.

2 vezes a população do Uruguai
A frota de veículos de São Paulo atenderia a duas vezes a população do Uruguai, que é de 3,5 milhões de habitantes.

5 motos para cada carro
A porcentagem de crescimento da frota de motos foi cinco vezes maior do que a de carros.

R$ 1 mil de economia se for de táxi em vez de carro
Estudos mostram que se o motorista for de táxi em vez de carro ele pode economizar até R$ 1.000 por mês.

Recorde de congestionamento
Em março deste ano São Paulo bateu seu recorde de engarrafamento: 216 km.

Fila daria para dar uma volta inteira na terra.
A fila de veículos de São Paulo somaria 42 mil km, capaz de dar uma volta ao redor da Terra.

1.300 ônibus fora das ruas
1.300 ônibus foram retirados das ruas de São Paulo nos horários de pico como medida para reduzir os congestionamentos na cidade.

5% de prejuízo
Os congestionamentos de São Paulo provocam perda de 5% de produtividade na atividade econômica.

Fonte

Lidos os textos, faça uma redação para uma das situações descritas abaixo:

2011-S10A – Faça uma dissertação de 25 a 30 linhas em que você defenda medidas para melhorar a qualidade do trânsito nas grandes cidades brasileiras.

2011-S10B – Faça uma dissertação de 25 a 30 linhas em que você discuta meios para diminuir o número de mortes no trânsito nas rodovias e vias públicas brasileiras.